app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5735
Polícia

Pai � acusado de tentar afogar o filho de um ano na lagoa

A polícia registrou mais um caso de violência contra criança em Alagoas. O servente Adelson Araújo Messias, 28, foi autuado em flagrante acusado de tentar afogar o filho, de um ano e nove meses, na Lagoa Mundaú, em Bom Parto, na tarde da última quinta-fei

Por | Edição do dia 04/03/2006 - Matéria atualizada em 04/03/2006 às 00h00

A polícia registrou mais um caso de violência contra criança em Alagoas. O servente Adelson Araújo Messias, 28, foi autuado em flagrante acusado de tentar afogar o filho, de um ano e nove meses, na Lagoa Mundaú, em Bom Parto, na tarde da última quinta-feira. O fato ocorreu menos de 48 horas após a dona-de-casa Maria Luiza Fernandes Barros, 27, ser presa como suspeita de abandonar o filho dentro de casa para ir brincar o carnaval, em Matriz do Camaragibe. A criança foi encontrada morta. O laudo preliminar do IML de Maceió é de que o bebê morreu de fome. O sargento PM José Ednor do Nascimento informou ter chegado à favela do Conjunto Vale do Mundaú logo após Adelson Araújo ser retirado da água, junto com o filho A.A.S., de um ano e nove meses. Ele estava sendo espancado por um grupo de pescadores, quando os militares chegaram e impediram o linchamento. “Muita gente presenciou o caso e acusa o pai de tentar afogar o filho”, declarou o sargento PM no flagrante. Segundo Maria Helena da Silva, 42, uma das testemunhas da tentativa de assassinato, que foi ouvida pela delegada Ana Luiza Nogueira, a dona-de-casa Laudeci Maria Vieira da Costa, 24, foi quem viu primeiro Adelson tentando matar o filho. “Ela saiu gritando que ele estava matando o menino e chamou a atenção de várias pessoas”, afirmou. Maria Helena disse que “a criança não conseguia nem gritar, somente levantar a cabeça para respirar e ele empurrava de volta na água”. Ela revelou, ainda, que um grupo de pescadores saiu em socorro da criança e conseguiu resgatá-la das mãos do pai, que foi arrastado de dentro da água e linchado pelos vizinhos. Intriga dos vizinhos A mãe de A.A.S, a dona-de-casa Sheyla Honorato da Silva Messias, 24, declarou na Delegacia dos Crimes Contra Crianças que o marido, após ingerir bebida alcoólica, saiu para brincar com o filho no meio da rua. “Foi de repente, não sei o porquê de ele ter levado o menino para a lagoa”, disse. Ela afirmou não ter visto o marido tentando afogar o filho. “Tudo não passa de calúnia da vizinhança, já que as pessoas da favela têm raiva do meu marido”. Sheyla Honorato confessou não ser a primeira vez que Adelson agiu com violência contra sua família. No início do ano, ele tocou fogo na casa, após uma discussão do casal. Ela precisou fugir com o filho para escapar do incêndio. No entanto, disse que o marido jamais faria algo de mal para o filho. O servente Adelson Araújo negou, em interrogatório, ter tentado afogar o filho. Ele confirmou que havia bebido duas doses de cachaça e que estava na lagoa tomando banho com o menino. Disse que trabalha muito para sustentar a família. |EF

Mais matérias
desta edição