app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5731
Polícia

Pol�cia estoura revenda de cloro clandestina em Messias

| MARCOS RODRIGUES Repóreter Messias - Depois de trabalho de investigação baseado numa denúncia anônima, a Polícia Civil estourou, ontem, um esquema de revenda de cloro diluído, no município de Messias. Na operação, comandada pela delegada Luci Mônica R

Por | Edição do dia 04/03/2006 - Matéria atualizada em 04/03/2006 às 00h00

| MARCOS RODRIGUES Repóreter Messias - Depois de trabalho de investigação baseado numa denúncia anônima, a Polícia Civil estourou, ontem, um esquema de revenda de cloro diluído, no município de Messias. Na operação, comandada pela delegada Luci Mônica Rebelo, foram presos Ademário Tenório da Silva, Antonione de Melo Lucena e Wagner Ferreira Pontes. “Chegamos ao local onde o hipoclorito (substância que produz cloro) era diluído e repassado para comercialização, a partir de uma denúncia anônima recebida pela juíza da cidade”, revelou a delegada, acrescentando ter iniciado as investigações logo em seguida. Desvio A operação policial que resultou nas prisões foi planejada depois que o motorista da Rodoquim ,Antonione Melo foi detido. Ele revelou que depois de realizar o abastecimento do hipoclorito na Braskem desviava o caminhão par retirar alguns litros do produto. A operação acontecia em terras da falida Usina Bititinga, a 13km do município de Messias. Lá a equipe de policiais encontrou um laboratório improvisado para diluição do produto e envasamento. No local foram encontrados estocados 10.800 litros de hipoclorito provenientes da Braskem. De acordo com as primeiras informações, os motoristas recebiam R$ 100,00 para permitir a retirada do material concentrado. “O que sei até agora é que para cada litro de hipoclorito eram produzidos 100 litros de cloro, que era revendido”, acrescentou a delegada. Na cidade de Messias a Gazeta apurou que o esquema de furto e fraude fiscal pode contar com a cobertura de um policial militar. Segundo provas recolhidas no local, alguns lacres de caminhões-tanque foram utilizados cinco anos atrás, o que sugere que o esquema era antigo.

Mais matérias
desta edição