app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5713
Polícia

Ex-diretor do Baldomero nega pr�tica de tortura no pres�dio

O ex-diretor do Presídio Baldomero Cavalcanti, Herbeth César, negou ontem ter ordenado tortura e espancamentos em presos, afirmando que “existem duas facções, uma de reeducandos que querem apenas cumprir as penas, e outra de marginais que matam e se droga

Por | Edição do dia 21/05/2002 - Matéria atualizada em 21/05/2002 às 00h00

O ex-diretor do Presídio Baldomero Cavalcanti, Herbeth César, negou ontem ter ordenado tortura e espancamentos em presos, afirmando que “existem duas facções, uma de reeducandos que querem apenas cumprir as penas, e outra de marginais que matam e se drogam dentro do presídio”. Ele foi ouvido ontem pela promotoria do Núcleo de Direitos Humanos do Ministério Público, que instaurou procedimento investigativo para apurar denúncias de tortura encaminhadas pela Central Estadual de Combate Permanente à Tortura. Segundo o ex-diretor do Baldomero, durante os 10 meses em que no comando do presídio masculino “tentou resgatar o Baldomero Cavalcanti das mãos dos bandidos e devolvê-lo ao Estado”, disse ele, antes de ser ouvido pelas promotoras Jane Braga Quirino e Juçara Suruagy do Amaral. Afirmou ainda que os presos que o denunciam são os mesmos marginais que tumultuam a vida do presídio. “Esses só querem delinqüir, matando gente e usar drogas”, disse. Denúncias O MP instaurou procedimento investigativo diante do recebimento de várias denúncias encaminhadas pela Central Permanente de Combate à Tortura. Mas, segundo as promotoras, a maioria das denúncias não tem conteúdo, porque algumas delas não traz sequer o nome das supostas vítimas. “Mesmo assim, resolvemos instaurar esse procedimento, ouvindo as pessoas citadas nas denúncias”, afirmou a promotora Jane Braga Quirino. Entre os citados, estão policiais civis e até parlamentares. Na semana passada, o delegado Osvanilton Adelino não apareceu no MP para ser ouvido. Ele foi acusado de espancar um homem nas dependências da Delegacia de Roubos e Furtos de Veículos. Segundo as promotoras, Osvanilton será novamente notificado para prestar esclarecimentos.

Mais matérias
desta edição