app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5731
Polícia

Homem tenta roubar �nibus e � linchado em Ponta Grossa

EDNELSON FEITOSA Repórter Uma tentativa frustrada de assalto a ônibus acabou em linchamento no último domingo, em Ponta Grossa. Danilo Alves dos Santos, 21, tinha rendido o cobrador e anunciado o roubo, quando um policial, à paisana, reagiu e consegui

Por | Edição do dia 14/03/2006 - Matéria atualizada em 14/03/2006 às 00h00

EDNELSON FEITOSA Repórter Uma tentativa frustrada de assalto a ônibus acabou em linchamento no último domingo, em Ponta Grossa. Danilo Alves dos Santos, 21, tinha rendido o cobrador e anunciado o roubo, quando um policial, à paisana, reagiu e conseguiu imobilizá-lo. A população ficou revoltada e tomou o preso das mãos do militar, que pediu apoio ao Centro de Operações da Polícia Militar (Copom). Quando o sargento PM Lindomar, do Batalhão de Radiopatrulha, chegou ao local ele tinha sido espancado e estava sendo amarrado a um poste da Ceal. O linchamento ocorreu num trecho da Rua Cabo Reis, no Trapiche da Barra, por volta das 19h, considerado um dos pontos mais perigosos para motoristas de ônibus em Maceió, onde os assaltos são quase diários. “Ninguém agüenta mais estes bandidos aqui. Eles assaltam e ainda passam atirando, colocando em risco a vida das crianças e dos moradores”, disse o ambulante Ademir Francisco. Segundo o sargento PM Lindomar, assim que subiu no ônibus da empresa São Francisco Danilo sacou um revólver Rossi, calibre 32, dirigindo-se ao cobrador. Um militar, que não teve a identidade fornecida pelo Copom, conseguiu desarmar e imobilizar o assaltante. “Quando os moradores perceberam que se tratava de mais um assalto, agarraram o acusado e começaram a espancá-lo”, disse o sargento da RP. Ele foi levado para a Delegacia de Plantão I, no Farol, onde foi autuado em flagrante, por roubo, pelo delegado Osvanilton de Oliveira. Segundo a Polícia Civil, este foi o quinto caso de linchamento no Estado, nos últimos 15 dias. Houve espancamento de presos ou de pessoas que cometeram crimes em Maceió, Atalaia, Coqueiro Seco e Junqueiro; este último terminou em morte.

Mais matérias
desta edição