app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5731
Polícia

Policiais apontados na morte de jovens

| Regina Carvalho Repórter A cúpula da Secretaria de Defesa Social (SDS) vai colaborar com as investigações do duplo seqüestro e assassinato dos adolescentes Paulo Henrique Alves da Silva e Leandro Jonatas dos Santos no último fim de semana, no bairro d

Por | Edição do dia 15/03/2006 - Matéria atualizada em 15/03/2006 às 00h00

| Regina Carvalho Repórter A cúpula da Secretaria de Defesa Social (SDS) vai colaborar com as investigações do duplo seqüestro e assassinato dos adolescentes Paulo Henrique Alves da Silva e Leandro Jonatas dos Santos no último fim de semana, no bairro do Feitosa. “Vou me reunir com o delegado (Marcílio Barenco) para discutirmos a condução das investigações”, afirmou o diretor do Departamento Metropolitano de Polícia (Demep), Alcides Andrade. O delegado de Rio Largo, Marcílio Barenco, que preside o inquérito policial, começa a ouvir hoje testemunhas do caso, possivelmente parentes das vítimas. Barenco declarou que pelas características do crime, a forma da abordagem aos adolescentes e execução das vítimas, possivelmente policiais foram os responsáveis pelos assassinatos. “As oitivas vão acontecer em Rio Largo e pelo modo como ocorreu o crime, leva a crer que tenha o envolvimento de policiais, de fato. Mas precisamos investigar”, ressaltou Barenco. Os depoimentos dependem também do 9º Distrito Policial (DP), encarregado de fazer as intimações. “Vou ligar para saber se as intimações foram entregues para iniciar as oitivas”, completou. O diretor do Demep disse que não descarta a possibilidade de participação de policiais no crime, mas que a comunidade terá de ser ouvida para que o caso seja esclarecido. “Os moradores precisam dar sua versão. Mas independente de envolvimento ou não desses meninos em problemas, vamos investigar”, reforçou Alcides Andrade. Para moradores do Feitosa e parentes dos jovens, Paulo Henrique e Leandro foram mortos por engano. Eles estavam numa sinuca na Rua Novo Jardim, quando foram abordados por três homens armados que se apresentaram como policiais, na tarde da última sexta-feira. Desesperada, a mãe de Paulo Henrique, Maria José Alves da Silva foi a várias delegacias para pedir que encontrassem seu filho. No sábado, ela recebeu a informação de que dois corpos foram localizados em um canavial de Rio Largo. Eram dos adolescentes. Na última segunda-feira, moradores e parentes das vítimas fizeram manifestação na principal avenida do bairro para pedir justiça. Eles contam que os homens, que se identificaram como policiais, procuravam “Val Pequeno” e teriam seqüestrado e assassinado por engano.

Mais matérias
desta edição