app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5729
Polícia

Agricultor � preso aplicando golpe no INSS

| FÁTIMA ALMEIDA Repórter O agricultor Severino Manoel da Silva, 58 anos, foi preso pela Polícia Federal (PF) quando tentava aplicar um golpe contra a Previdência, no posto do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), da Jatiúca. Ele foi flagrado ao

Por | Edição do dia 17/03/2006 - Matéria atualizada em 17/03/2006 às 00h00

| FÁTIMA ALMEIDA Repórter O agricultor Severino Manoel da Silva, 58 anos, foi preso pela Polícia Federal (PF) quando tentava aplicar um golpe contra a Previdência, no posto do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), da Jatiúca. Ele foi flagrado ao apresentar documentos falsificados da dona-de-casa Cícera Maria da Silva Filho, residente na Cidade Universitária, com objetivo de aferir vantagem ao assegurar o recebimento do benefício de Amparo Social do Idoso, destinado a pessoas com mais de 65 anos, sem nenhuma renda familiar. A certidão de nascimento de Cícera Maria da Silva foi alterada no campo da data de nascimento, aumentando a idade, para forjar o direito ao benefício, mas a falsificação foi percebida na hora da entrega dos documentos, por um funcionário do INSS, que chamou a polícia. Cícera, que acompanhava Severino nos procedimentos junto à previdência, também foi detida e levada à sede da PF, mas foi liberada após ser ouvida pelo titular da Delegacia Federal de Repressão aos Crimes Previdenciários, Marcos Antônio Pereira. Ele entendeu que a beneficiária não tinha conhecimento da fraude e que apenas foi convencida de que teria direito ao benefício e aceitou entregar os documentos e pagar pela intermediação de Serverino, como se paga por um serviço correto. “É muito comum esse pessoal procurar os idosos e propor um preço para viabilizar o benefício. Alguns tomam conhecimento e participam do processo de falsificação de documentos. Mas outros nem tomam conhecimento. Apenas são convencidos de que têm direito a receber um benefício e aceitam pagar pelas providências abrindo mão da metade ou de parcelas iniciais do que passam a receber”, explica o delegado. No caso de Severino, ele apurou que o intermediário ficaria com as duas primeiras parcelas do benefício que Cícera receberia, no valor de um salário mínimo mensal. Principiante Em seu depoimento, o falsário alegou que era a primeira vez que tentava o golpe contra a previdência, mas o delegado apurou, com base no depoimento da beneficiária, que ele já vinha agindo na região do Tabuleiro do Martins e que tem um cúmplice, que já está sendo procurado pela polícia. Severino vai ficar detido, sob custódia da Polícia Federal, até a conclusão do inquérito policial, que deve acontecer dentro de 15 dias. Ele deve responder pelo crime de falsificação de documento público, previsto no artigo 297 do Código Penal, cuja pena prevista é de 2 anos a 6 meses, além de multa.

Mais matérias
desta edição