app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5730
Polícia

Militares acusados de matar empreiteiro s�o reincidentes

| BLEINE OLIVEIRA Repórter O delegado de Roubos e Furtos de Veículos, Carlos Alberto Reis, pediu ontem aos juízes do Núcleo de Combate ao Crime Organizado (NCCO) a prorrogação do prazo de prisão dos militares Jairo Dantas, Antônio Rita e Edilson Correia

Por | Edição do dia 24/03/2006 - Matéria atualizada em 24/03/2006 às 00h00

| BLEINE OLIVEIRA Repórter O delegado de Roubos e Furtos de Veículos, Carlos Alberto Reis, pediu ontem aos juízes do Núcleo de Combate ao Crime Organizado (NCCO) a prorrogação do prazo de prisão dos militares Jairo Dantas, Antônio Rita e Edilson Correia e de Maria José da Silva, a Nena, 29, acusados do assassinato do empreiteiro José Maria dos Santos, de 55 anos. O crime ocorreu no dia oito último, quando José Maria, conhecido como “Araújo”, foi levado de sua casa, no bairro do Clima Bom, pelos policiais e dois civis. Os três militares continuam recolhidos ao presídio do quartel da Polícia Militar, no Trapiche da Barra. O corregedor-geral da PM, coronel Cláudio Omena, revelou ontem que todos eles já passaram por sindicâncias devido a ações que contrariam as normas da coorporação. Nos relatórios da corregedoria há quatro registros contra o soldado Edilson Correia, quatro contra Jairo Dantas e um contra Antônio Rita. Embora tenha evitado a divulgação de fotos ou contato com os policiais acusados, o coronel Cláudio Omena disse que o Serviço de Inteligência da PM já tem indícios da participação dos três militares na morte do empreiteiro. Sindicância não começou A investigação da corregedoria sobre a participação dos policiais militares em delitos deve começar hoje, ou nesta segunda-feira, 27. “Vamos ouvi-los e aos seus acusadores”, disse o cel. Omena, ao lamentar o envolvimento de militares em crimes, mas disse que é uma realidade da qual a coorporação não pode fugir. Ele afirma acreditar que policiais militares e civis se organizam para a prática de crimes. “Temos que dar a mão à palmatória. De vez em quando isso ocorre, e há ligação entre militares e delinquentes”, afirmou o oficial PM. Ele lembra que no ano passado seis militares foram expulsos da Polícia Militar. Este ano, a mesma medida já foi adotada contra dois deles. Furto, extorsão, seqüestro e pistolagem são, segundo o cel. Omena, os crimes nos quais os PMs se envolvem. Dos nove acusados pelo assassinato de Araújo, sete estão com prisão decretada. O PM Jairo Dantas é acusado de ter planejado o assassinato. Segundo a mulher da vítima, o militar foi “contratado” pelo fotógrafo José Carlos de Almeida Santos. Policiais da Delegacia de Roubos e Furtos de Veículos foram ontem a Maragogi, mas não conseguiram prendê-lo. O delegado Carlos Alberto Reis diz que tem novas pistas sobre o paradeiro do fugitivo. Já o advogado de Marciel Gomes da Silva, que comprou o Celta preto da vítima por R$ 500, prometeu apresentá-lo em breve.

Mais matérias
desta edição