app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5735
Polícia

Presos aproveitam festa, abrem buraco e escapam de delegacia

Quatro presos abriram um buraco na cela e fugiram, na madrugada de ontem, da carceragem da Delegacia do 11º Distrito. Foi o segundo caso ocorrido num distrito, nas últimas 72 horas, em Maceió. Na quinta-feira da semana passada, outros quatro presos fugira

Por | Edição do dia 28/03/2006 - Matéria atualizada em 28/03/2006 às 00h00

Quatro presos abriram um buraco na cela e fugiram, na madrugada de ontem, da carceragem da Delegacia do 11º Distrito. Foi o segundo caso ocorrido num distrito, nas últimas 72 horas, em Maceió. Na quinta-feira da semana passada, outros quatro presos fugiram do 10º DP. Eles arrebentaram as grades e quebraram os tijolos da parede. Sob a liderança de Cícero Procópio dos Santos, Ricardo Marias dos Santos, Ednaldo Ferreira dos Santos e Edvan José de Gouveia Silva quebraram os tijolos da parede da cela e atingiram uma espécie de garagem que tem portão de madeira. Eles retiraram os parafusos e alcançaram a rua. O policial civil Expedito Melo estava indo para o sanitário da delegacia, quando observou que faltavam detentos na carceragem. Dos cinco presos apenas um não fugiu do local. Washington Luiz Cardoso Ferreira Júnior declarou estar arrependido de ter praticado uma tentativa de homicídio e que pretendia pagar pelo que fez. Foi Washington quem revelou que os colegas de cela tinham usando uma chave de fenda para quebrar a parede e deixar o local e que a ferramenta teria sido levada por uma mulher durante visita. Segundo os policiais, mulheres não são submetidas a qualquer tipo de revista. Washington disse, ainda, que o barulho dos companheiros quebrando os tijolos foi abafado pelo som de uma festa que ocorria no primeiro andar do prédio onde está instalada a delegacia. No andar superior fica uma casa, onde moram cerca de 21 pessoas de uma só família. Ele revelou também, que a bomba d’água estava ligada. A fuga dos presos do 11º Distrito foi comunicada, por ofício, ao diretor-geral da Polícia Civil, Robervaldo Davino, que deve indicar um delegado especial para apurar o fato. Na manhã de ontem, o delegado do 10º Distrito, Denisson Albuquerque, declarou que o buraco que os presos fizeram para a fuga da última quinta-feira ainda não foi consertado e que os detentos estão amontoados numa outra cela, onde existe uma falha no forro. |EF

Mais matérias
desta edição