app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5733
Polícia

Saques s�o feitos com apoio de grupos

| MARCOS RODRIGUES Repórter A Polícia Militar já tem informações de que os saques organizados por militantes sem-terra estão contando com a participação de pessoas alheias à causa da reforma agrária. A revelação foi feita pelo coordenador do Centro de G

Por | Edição do dia 14/04/2006 - Matéria atualizada em 14/04/2006 às 00h00

| MARCOS RODRIGUES Repórter A Polícia Militar já tem informações de que os saques organizados por militantes sem-terra estão contando com a participação de pessoas alheias à causa da reforma agrária. A revelação foi feita pelo coordenador do Centro de Gerenciamento de Crises da (PM), tenente-coronel Adilson Bispo. Ontem, ao repercutir a ação de integrantes do Movimento pela Libertação dos Sem Terra (MLST), que chegaram a ser presos com caixas de pescado saqueadas na BR-101, ele confirmou que algumas pessoas da região estão se aproveitando das ações dos movimentos. “Começamos a perceber que alguns, que não militam em nenhum dos movimentos, utilizam-se de vestes na cor vermelha para se infiltrar durante as ações. Eles se aproveitam da confusão e retiram os produtos”, revelou Adilson Bispo. O saque a mercadorias, nas imediações do município de Flexeiras, por exemplo, é algo que acontece há muito tempo. Vários caminhos que tombaram às margens da BR tiveram suas mercadorias levadas por moradores da cidade e de povoados próximos. Os produtos são utilizados pelos saqueadores ou comercializados com pequenos negociantes. Na ação do MLST, da última quarta-feira, dois homens: José Edvan da Silva, 23 e José Peixoto da Silva, 28, foram presos sob a acusação de terem comprado caixas de pescado de uma pessoa não identificada. Os produtos foram adquiridos ao preço de R$ 50. Os dois homens podem ser enquadrados por receptação de produtos roubados. Além deles, o motorista de uma Van, Expedito Gracindo da Silva, também foi detido e pode ser indiciado. Ele e os outros foram levados para a Delegacia de Messias e autuados pela delegada Lucy Mônica Rabelo. ///

Mais matérias
desta edição