app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 0
Polícia

Menino � espancado por garotos na rua

Patrícia Bastos Repórter Arapiraca – A retirada de um coágulo no cérebro, uma parada cardíaca e complicações pela aspiração de sangue pelos pulmões fizeram com que o Natal do menino Lucas Alves, 9, fosse mais uma data de luta pela vida. No dia 8 de

Por | Edição do dia 27/12/2006 - Matéria atualizada em 27/12/2006 às 00h00

Patrícia Bastos Repórter Arapiraca – A retirada de um coágulo no cérebro, uma parada cardíaca e complicações pela aspiração de sangue pelos pulmões fizeram com que o Natal do menino Lucas Alves, 9, fosse mais uma data de luta pela vida. No dia 8 de dezembro, ele foi espancado por outros dois garotos, com idades de 11 e 13 anos, quando saía de uma sala de bate-papo próximo à sua residência, no Alto do Cruzeiro. Com um dreno na cabeça e em coma induzido na UTI da Unidade de Emergência em Arapiraca, os médicos afirmam que o estado de saúde de Lucas é grave, e que a recuperação depende da resposta dele ao tratamento a que está sendo submetido. ### Famílias de agressores vão ser ouvidas Os familiares dos dois garotos acusados de agredir Lucas irão passar por orientação do Conselho Tutelar de Arapiraca. O menino de 11 anos, de acordo com a conselheira Verônica Nascimento, não pode sofrer qualquer tipo de punição, conforme o estabelecido no Estatuto da Infância e da Adolescência. “Quando a criança envolvida em crime tem menos de 12 anos, não passa por inquérito social. Nesse caso, iremos fazer um trabalho com toda a família para descobrir as causas dessa atitude violenta e resolver os problemas que levaram a criança a agir desse modo”, declarou. ///

Mais matérias
desta edição