app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 0
Política

Frente Parlamentar anuncia medidas de apoio � agricultura

O deputado federal José Thomaz Nonô, presidente regional do PFL, recebeu esta semana o programa de trabalho da Frente Parlamentar de Apoio à Agropecuária, da qual faz parte juntamente com cerca de duzentos deputados e senadores. Pelo documento, a Frente d

Por | Edição do dia 30/08/2002 - Matéria atualizada em 30/08/2002 às 00h00

O deputado federal José Thomaz Nonô, presidente regional do PFL, recebeu esta semana o programa de trabalho da Frente Parlamentar de Apoio à Agropecuária, da qual faz parte juntamente com cerca de duzentos deputados e senadores. Pelo documento, a Frente definiu sete pontos principais que devem ser executados até o fim do próximo ano. Entre eles, o acompanhamentos da política orçamentária do governo federal, o atendimento dos problemas levantados pelos líderes do setor e os problemas do endividamento rural e das exportações. “Esses problemas foram levantados junto aos produtores rurais e serão amplamente discutidos pelo Congresso no próximo ano”, afirma Nonô. Segundo a Frente Parlamentar, não existe hoje no Congresso um sistema pelo qual os parlamentares possam acompanhar os programas e projetos orçamentários em tramitação na área agrícola. Por isso, os congressistas defendem a criação de mecanismos que garantam esse acompanhamento e o volume de recursos para os projetos do setor. “As demandas são muitas e é preciso ter controle sobre isso”, ressalta Nonô. Entidades Outro ponto importante levantado pelos deputados é a necessidade de desenvolver ações apontadas pelas entidades ligadas ao campo e que constam em um documento elaborado pela Confederação Nacional de Agricultura. “Recebemos dezenas de agricultores nos gabinetes e eles sempre cobram a resolução de vários problemas. Temos que atender o maior número delas, uma vez que esse setor é muito desprotegido”, afirma o deputado. Sobre o endividamento rural, os parlamentares afirmam que o problema precisa de “soluções rápidas e concretas”. “As dívidas junto aos bancos são uma pedra no sapato dos produtores. A agricultura necessita de juros subsidiados, não de exploração por parte dos bancos oficiais”, diz Nonô. Já com relação aos problemas ligados às exportações, a Frente pretende se reunir com o parlamento europeu, o congresso americano e outros blocos econômicos para discutir a redução de barreiras sanitárias e alfandegárias a que são impostas as mercadorias brasileiras.

Mais matérias
desta edição