app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5749
Política

Renda e outros problemas

A pesquisa socioeconômica realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) também mostrou que 41,7% dos chefes de famílias têm renda mensal de apenas um salário mínimo. “Hoje, quem sustenta a economia da maioria dos municípios ala-goa

Por | Edição do dia 15/09/2002 - Matéria atualizada em 15/09/2002 às 00h00

A pesquisa socioeconômica realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) também mostrou que 41,7% dos chefes de famílias têm renda mensal de apenas um salário mínimo. “Hoje, quem sustenta a economia da maioria dos municípios ala-goanos são os aposentados. No Piauí, esse percentual é um pouco maior. Lá, 54,4% dos chefes de famílias sobrevivem com a renda mínima, mas há de se considerar a população (1 milhão 843 mil 278 habitantes) maior que a de Alagoas. Isso elevou a renda média dos alagoanos em relação aos piauienses. Todos os dias, mais de 200 mil alagoanos, ou 31% da mão-de-obra ativa do Estado, saem às ruas tentando sobreviver no comércio informal, segundo o censo do IBGE. Eles são os sobreviventes do caos social, no Estado que tem as maiores taxas de desemprego, analfabetismo e mortalidade infantil no País. Desemprego Os indicadores econômicos e sociais negativos exigem dos alagoanos criatividade – quem tem sofre menos. Mas o que antes se restringia a Maceió se estendeu ao Agreste e ao Sertão, onde o comércio formal já começa a enfrentar problemas com os ambulantes; em Arapiraca existem 12 camelôs para cada estabelecimento comercial registrado na Junta Comercial e cinco favelas surgiram nos últimos dez anos. Mortalidade infantil Também de acordo com os dados do IBGE, o coeficiente de mortalidade infantil no Estado é de 45,9 por mil crianças nascidas vivas, acima da média nacional que é de 29 por mil. E deve ser até mais, uma vez que técnicos afirmam que existem subnotificações elevadas (casos de óbitos de crianças que não chegam ao conhecimento das autoridades de saúde).

Mais matérias
desta edição