app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5750
Política

Resultados diferentes levam os eleitores a duvidar de pesquisas

Desde que começou a campanha eleitoral em Alagoas, o público vem sendo bombardeado com a divulgação de pesquisas de intenção de votos que mais confundem do que informam. A guerra das pesquisas envolve sobretudo os dois principais candidatos ao governo

Por | Edição do dia 19/09/2002 - Matéria atualizada em 19/09/2002 às 00h00

Desde que começou a campanha eleitoral em Alagoas, o público vem sendo bombardeado com a divulgação de pesquisas de intenção de votos que mais confundem do que informam. A guerra das pesquisas envolve sobretudo os dois principais candidatos ao governo do Estado – Fernando Collor e Ronaldo Lessa – que polarizaram a campanha eleitoral e por isto têm despertado o interesse maior dos institutos de pesquisas. Além das tradicionais empresas de pesquisas, como Ibope, DataFolha e Vox Populi, outros institutos menos conhecidos também despertaram interesse na sucessão alagoana, complicando ainda mais a cabeça do eleitorado. Os diferentes resultados dessas pesquisas têm levantado suspeitas sobre a lisura do trabalho, levando muita gente a duvidar de sua seriedade. Alguns acreditam na possibilidade de manipulação de dados para beneficiar alguns dos candidatos, principalmente quando se trata de institutos desconhecidos. Mas as desconfianças ficam apenas no terreno da suposição, porquanto ainda não há provas de irregularidades. “Isto só pode ocorrer se os critérios científicos que balizam as pesquisas eleitorais não estiverem sendo aplicados’’, diz Alexandre Pontes, professor da área de Matemática e mestre e doutorando em Estatística pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Ele explica que ’’o modo de escolha de uma amostra tem grande importância, pois o valor da variável depende dessa amostra’.’ Alexandre Pontes diz não acreditar que se estejam fazendo pesquisas tendenciosas para beneficiar um ou outro candidato. Mas em tese, ele admite que a manipulação de dados é uma possibilidade que não se pode descartar, sobretudo numa eleição polarizada, onde alguns pontos percentuais para mais ou para menos podem fazer a diferença. Por isso recomenda aos partidos que analisem cada pesquisa eleitoral para ver os critérios adotados e conferir os resultados antes de sua divulgação.

Mais matérias
desta edição