app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5715
Política

Macei� abriga duas ilhas de riqueza

Com rendimento mensal de R$ 820,00 do chefe de família, Maceió é a cidade de maior renda per capita do Estado, mas também abriga uma brutal desigualdade social considerando a distribuição de renda entre seus quase 900 mil habitantes. Pelos dados da PNAD,

Por | Edição do dia 22/09/2002 - Matéria atualizada em 22/09/2002 às 00h00

Com rendimento mensal de R$ 820,00 do chefe de família, Maceió é a cidade de maior renda per capita do Estado, mas também abriga uma brutal desigualdade social considerando a distribuição de renda entre seus quase 900 mil habitantes. Pelos dados da PNAD, a riqueza da Capital está concentrada em apenas dois bairros: Jardim Petrópolis (incluindo Aldebaran) e Ponta Verde, considerados como ilhas de riqueza no universo de 50 bairros da cidade, cuja renda média mensal do chefe de família é de R$ 820,00, quase o dobro da média estadual. No Jardim Petrópolis, a renda média do chefe de família é de R$ 4.146,00, contra R$ 290,00 da Chã de Bebedouro. Mais da metade da população da Capital (72%) ganha menos de R$ 1.000,00 por mês. Este universo vive em 36 dos 50 bairros da cidade, enquanto outros 22 bairros abrigam uma renda mensal abaixo de R$ 500,00. Veja relação por bairro, ao lado Interior Nos demais 101 municípios, a renda média do chefe de família é de R$ 300,00. A pesquisa revela ainda que as microrregiões de Traipu e alto Sertão são as mais pobres de Alagoas, com renda média familiar inferior a um salário mínimo. Eles abrangem os municípios de Traipu, Olho D’Água Grande, São Brás, Água Branca, Canapi, Inhapi, Mata Grande e Pariconha. A cidade de Arapiraca tem a segunda maior renda per capita do Estado, com R$ 387,11 por chefe de família. Em seguida, vem Delmiro Gouveia com R$ 346,76, e Penedo com renda mensal de R$ 312,00 por chefe de família. A cidade de Arapiraca aparece com a segunda maior renda do Estado, com R$ 387,11 por chefe de família.

Mais matérias
desta edição