app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5715
Política

Parte do PMDB do Rio troca tucano por petista

Rio e Brasília – O candidato à Presidência da República pelo PT, Luiz Inácio Lula da Silva, recebeu ontem no Hotel Glória o apoio de 148 políticos do PMDB do Rio de Janeiro, partido que oficialmente está coligado em âmbito nacional com o PSDB de José Ser

Por | Edição do dia 28/09/2002 - Matéria atualizada em 28/09/2002 às 00h00

Rio e Brasília – O candidato à Presidência da República pelo PT, Luiz Inácio Lula da Silva, recebeu ontem no Hotel Glória o apoio de 148 políticos do PMDB do Rio de Janeiro, partido que oficialmente está coligado em âmbito nacional com o PSDB de José Serra. O secretário-geral da Executiva Estadual do PMDB, Jorge Picciani, disse acreditar que essa parcela poderá puxar cerca de 1 milhão de votos para Lula. “Não fiquem constrangidos de dizer que estão chegando a festa quando o baile está terminando. Na nossa festa, mesmo quem chega quando terminar, será bem-vindo”, afirmou o candidato. Lula ressaltou que a diferença de sua quarta eleição presidencial está sendo a política de alianças firmada com setores contrários ao governo atual, e que pretende governar em conjunto com esses setores. Apoio pefelista Em Brasília, o presidente do PFL, senador Jorge Bornhausen (SC), divulgou nota recriminando e desautorizando a manifestação pública de apoio da ex-governa-dora Roseana Sarney (PFL-MA) à candidatura presidencial de Lula. “Se verdadeira a anunciada decisão de voto de Roseana Sarney, a decisão carece de visão nacional”, diz a nota de Bornhausen, que não teve o cuidado de avisar Roseana antes da divulgação. Ele alegou que “o PFL e o PT são partidos antagônicos em seus programas e não se misturam”, conforme já vinha dizendo em entrevistas ao negar apoio a Lula num eventual segundo turno. Bornhausen também reafirmou “voto e apoio” para o candidato da Frente Trabalhista (PPS-PDT-PTB), Ciro Gomes, a quem disse considerar “o mais preparado para dirigir o País em momento tão grave”. A íntegra de Bornhausen foi reproduzida no site de Ciro.

Mais matérias
desta edição