app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5749
Política

“Aluguel” de crian�as � denunciado em col�gio

Dezenas de eleitores que aguardavam ansiosos o momento do voto nas filas do Grupo Escolar Ladislau Neto, localizado no bairro do Jaraguá, acabaram promovendo um tumulto geral, ontem, pouco antes das 17 horas. Os presentes alegaram como motivo da revolt

Por | Edição do dia 07/10/2002 - Matéria atualizada em 07/10/2002 às 00h00

Dezenas de eleitores que aguardavam ansiosos o momento do voto nas filas do Grupo Escolar Ladislau Neto, localizado no bairro do Jaraguá, acabaram promovendo um tumulto geral, ontem, pouco antes das 17 horas. Os presentes alegaram como motivo da revolta o fato de algumas mulheres estarem alugando seus filhos para que outras pessoas votassem mais rapidamente. A estudante Katiúcia Melo explicou que já estava há duas horas e meia na fila da secção 197, sem conseguir entrar na sala para votar. “Durante esse tempo pude observar a mesma criança passando com três pessoas diferentes”, destacou, acrescentando que numa das vezes obteve uma oferta. “Você quer meu filho para votar logo? Eu alugo por R$ 1”, contou a estudante, sem deixar de expressar sua revolta com os fiscais do Tribunal Regional Eleitoral (TRE). “Eles deveriam pedir um documento que comprovasse o parentesco entre a mulher e a criança”, considerou Katiúcia Melo, esclarecendo que só queria justiça no exercício da cidadania. Providências Os fiscais do TRE presentes no local argumentaram que a função deles não era organizar filas. “Nosso trabalho destina-se a instruir o eleitor como votar”, salientou o fiscal Pablo Rodrigues, obtendo apoio dos demais. Já os policiais que estavam do lado de fora do grupo, justificaram que não poderiam tomar nenhuma atitude enquanto o TRE não solicitasse. “Só podemos nos pronunciar quando o TRE chamar”, enfatizou a militar Ana de Jesus.

Mais matérias
desta edição