app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5754
Política

Compra de votos � denunciada � OAB e ao MP

A Comissão de Ética na Política da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB/Alagoas) recebeu, ontem, aproximadamente 50 denúncias anônimas formuladas por meio do fone 0800 822000 dando conta da realização, por parte de integrantes de vários partidos, da chamada

Por | Edição do dia 07/10/2002 - Matéria atualizada em 07/10/2002 às 00h00

A Comissão de Ética na Política da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB/Alagoas) recebeu, ontem, aproximadamente 50 denúncias anônimas formuladas por meio do fone 0800 822000 dando conta da realização, por parte de integrantes de vários partidos, da chamada “boca-de-urna” nas imediações de locais de votação nas 1ª, 2ª e 3ª zonas da capital, em bairros como o Jacintinho, Farol, Jacarecica e principalmente na Praça Padre Cícero, no Vergel. Segundo o advogado José Maria Bispo, presidente da Comissão, surgiram ainda denúncias de compra de votos em bairros como Benedito Bentes. Eleitores também denunciaram à OAB que no Colégio São Luís, localizado no Tabuleiro, a foto do candidato não aparecia após a digitação do número, problema que foi logo solucionado. O Ministério Público Estadual também recebeu dezenas de denúncias sobre as irregularidades observadas no processo eleitoral. Segundo a promotora Carla Padilha, a maioria delas tratava de “boca-de-urna” e de longas filas nos locais de votação. Ela destacou como fato principal o flagrante de compra de voto registrado no interior do Estado. “Em Delmiro Gouveia uma pessoa foi autuada em flagrante, e o dinheiro apreendido”, citou a promotora, acrescentando que a maioria das denúncias, entretanto, não foi comprovada.

Mais matérias
desta edição