app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5715
Política

Coliga��o do PSB com o PL pode n�o ser concretizada

A pretensão do PSB de coligar nas eleições de outubro com o Partido Liberal (PL) pode não se concretizar. Ontem, o presidente regional do PL, deputado federal João Caldas, disse que não há nada certo sobre a coligação, apesar de algumas pessoas terem fala

Por | Edição do dia 24/02/2002 - Matéria atualizada em 24/02/2002 às 00h00

A pretensão do PSB de coligar nas eleições de outubro com o Partido Liberal (PL) pode não se concretizar. Ontem, o presidente regional do PL, deputado federal João Caldas, disse que não há nada certo sobre a coligação, apesar de algumas pessoas terem falado no acordo. “Quem fala em nome do PL é o próprio PL. Se alguém acertou alguma coisa em nome do partido, nada vale. Não sabemos que acertos foram esses”, disse Caldas. Segundo o parlamentar, as lideranças do Partido Liberal ainda vão se reunir para discutir a participação da legenda nas eleições, inclusive no que se refere aos candidatos a governador e senador. “Ainda temos que conversar muito. A coligação que o PL vai fazer não é projeto de uma ou duas pessoas. Precisamos ouvir o ex-deputado Moacir Andrade, o ex-prefeito Severino Leão, os deputados Gilvan Barros, Celso Luiz, Isnaldo Bulhões e Júnior Leão, o Álvaro Vasconcelos, o França Moura, o Hélio Marinho, o Fernando Farias, o Roberval Cabral, o Carlos Ronalsa e o Sertório Ferro, entre outros que fazem o partido”, acrescentou. Precipitação João Caldas considera “precipitação” os depoimentos que vêm sendo dados sobre a suposta aliança do PL com o PSB. “No mínimo, é imprudente”, enfatizou. Para ele, nada pode ser dito ou fechado até a próxima quinta-feira, quando o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) julgará a consulta de deputados do PDT sobre o sistema de coligações nos Estados. O Tribunal pode decidir que as coligações não devem ser diferentes da coligação de presidente da República. “É bom lembrar que, em âmbito nacional, o PL pode coligar com o PT”, disse Caldas. Nesse caso, seria inviável, em âmbito estadual, uma aliança do PL com o PSB, haja vista que PT e PSB têm candidatos diferentes a presidente.

Mais matérias
desta edição