app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5749
Política

Oposi��o dobra na C�mara, mas ainda n�o tem maioria

A oposição praticamente dobrou o número de representantes na Câmara dos Deputados, passando dos atuais 110 para cerca de 200 parlamentares. O maior crescimento foi registrado no PT, que teve um aumento de 56,9% de sua bancada, composta atualmente por 58 p

Por | Edição do dia 11/10/2002 - Matéria atualizada em 11/10/2002 às 00h00

A oposição praticamente dobrou o número de representantes na Câmara dos Deputados, passando dos atuais 110 para cerca de 200 parlamentares. O maior crescimento foi registrado no PT, que teve um aumento de 56,9% de sua bancada, composta atualmente por 58 parlamentares. Mas isso não significa que seria mais fácil conseguir base de apoio no Congresso em um eventual governo de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) pois, mesmo com o crescimento da esquerda, os governistas ainda são maioria na Casa. A possível base parlamentar pró-Lula seria formada, inicialmente, por 193 deputados. O número considera um apoio ao PT do PSB, PL, PDT, PPS, PCdoB, PV e PMN. Para obter a maioria absoluta de 257 deputados, ainda seriam necessários mais 64. As dissidências internas nos partidos governistas, no entanto, oferecem chances de agregação de mais deputados ao eventual governo do petista. O partido aposta que conseguiria fidelizar o apoio dos membros do PMDB, PFL, PPB e até do PSDB, que estão desgarrados da campanha do presidenciável José Serra, como ocorre com peemedebistas no Paraná, tucanos de Santa Catarina e pepebistas ligados ao presidente da legenda, Paulo Maluf. No caso do PFL, já há a manifestação explícita, por exemplo, dos senadores Antônio Carlos Magalhães (BA) e Roseana Sarney (MA). Em uma conversa com os petistas, o analista político do Departamento Intersindical de Acompanhamento Parlamentar (Diap), Antônio Augusto Queiroz, avaliou que o crescimento do PT na Câmara e no Senado – onde o partido terá uma bancada de 14 senadores – significa que as votações no Congresso dependerão da legenda. “O partido, com 91 deputados, terá força para aperfeiçoar, modificar, aprovar ou rejeitar qualquer proposta”.

Mais matérias
desta edição