app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5710
Política

Governo diz que n�o vai perseguir prefeitos que n�o apoiaram Lessa

MOZART LUNA Sucursal Gazeta – As declarações do governador reeleito Ronaldo Lessa, de que iria tratar os prefeitos que não o apoiaram nas últimas eleições como adversários, geraram muitas especulações sobre o que significaria “tratamento de adversário”.

Por | Edição do dia 20/10/2002 - Matéria atualizada em 20/10/2002 às 00h00

MOZART LUNA Sucursal Gazeta – As declarações do governador reeleito Ronaldo Lessa, de que iria tratar os prefeitos que não o apoiaram nas últimas eleições como adversários, geraram muitas especulações sobre o que significaria “tratamento de adversário”. As jornalistas Liara Nogueira e Elza Amaral, da assessoria de imprensa do governo do Estado, falaram em nome do governador, informando que ele se encontrava viajando. Segundo as jornalistas, o tratamento de adversário político a que o governador se refere não significa perseguições políticas, ou qualquer ato de revanchismo contra os prefeitos que não lhe apoiaram. “Não é da índole do governador perseguir ninguém ou praticar revanchismo, até porque ele foi eleito no primeiro mandato com o apoio de apenas seis prefeitos, e nem por isso houve qualquer tipo de perseguição ou retaliação”, declarou Liara Nogueira. “O governador vai continuar ajudando as comunidades nos municípios alagoanos, independentemente de quem seja o prefeito. Ele foi eleito para ser governador de Alagoas, e por isso existe o compromisso de promover o bem-estar de todos, sem olhar as cores partidárias”, enfatizou ela. “Entretanto, evidentemente aqueles que estiveram ao seu lado na luta pela sua reeleição terão mais atenção, sem que isso venha a prejudicar seja quem for”, garante ela. Liara Nogueira afirmou que atualmente existe um relacionamento administrativo do governo do Estado com os municípios em várias áreas, que vão desde a segurança, passando pela educação, até a saúde. “São parcerias que têm melhorado o serviço público no interior de Alagoas. Isto mediante a participação conjunta das prefeituras e das diversas secretarias estaduais”, enfatiza ela, acrescentando que guardada a distância política necessária. Política mesquinha O presidente da Associação dos Municípios Alagoanos (AMA), Jorge Dantas, acredita que o governador tem maturidade política suficiente para evitar a prática da política mesquinha. “Entretanto, somente ele pode dizer o que significa “tratamento de adversário político”, comenta o presidente da AMA. Dantas afirmou que uma das hipóteses do “tratamento de adversário” seria o governador prestigiar os grupos de oposição, os prefeitos que não o apoiaram nestas eleições. “Esta seria uma forma de tratamento de adversário”, declarou ele, acrescentando ser justo. Mesmo assim, Jorge Dantas, que também é prefeito de Pão de Açúcar e não apoiou Lessa, afirmou que os prefeitos estão tranqüilos, pois estão na metade de seus mandatos. “Além disso, hoje os municípios têm uma vida administrativa própria e bastante independente do governo estadual”, enfatiza ele. “Sabemos que precisamos trabalhar em parceria, mas os nossos principais recursos financeiros são oriundos dos cofres federais, garantidos por uma legislação específica, assim como o ICMS, que é repassado pelos cofres estaduais”, lembra ele.

Mais matérias
desta edição