app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5715
Política

Cerca de 6 mil policiais trabalham na elei��o

Aproximadamente seis mil homens, sendo 5.100 da Polícia Militar, e 800 da Polícia Civil, participam, durante todo o dia de hoje, do esquema de segurança com a finalidade de garantir a segurança do eleitor alagoano que vai às urnas, no interior e na capit

Por | Edição do dia 27/10/2002 - Matéria atualizada em 27/10/2002 às 00h00

Aproximadamente seis mil homens, sendo 5.100 da Polícia Militar, e 800 da Polícia Civil, participam, durante todo o dia de hoje, do esquema de segurança com a finalidade de garantir a segurança do eleitor alagoano que vai às urnas, no interior e na capital, participar do processo de escolha do presidente que vai governar o País pelos próximos quatro anos. A Polícia Federal vai utilizar um efetivo de 70 homens. Diante da inexistência de disputa em nível local, o comando da Polícia Militar informou que não haverá, por exemplo, reforço policial para municípios onde as disputas eleitorais mostravam-se acirradas. “Como a eleição não está polarizada e ocorre em nível nacional, decidimos pela manutenção do esquema de segurança utilizado no pleito do dia seis de outubro”, explica o capitão Maxwell. Segurança O assessor de comunicação do Comando-Geral da Polícia Militar explicou ainda que dos 5.100 militares que vão trabalhar para garantir a segurança das eleições neste domingo, 2.100 homens vão trabalhar em todos os municípios do Estado. A maioria deles viajou a partir da manhã da última sexta-feira e os demais seguiram na manhã de ontem. O capitão informou ainda que os 5.100 homens da Polícia Militar designados para garantir a segurança dos eleitores no dia de hoje já seguiram viagem com o depósito, em suas respectivas contas bancárias, do valor das diárias. “A menor diária, que é de R$ 90,00, será paga a um soldado. Os valores foram depositados com antecedência em suas contas bancárias e todas as despesas com hospedagem e alimentação serão custeadas pela Polícia Militar”, ressaltou. O diretor do Departamento Central de Polícia Civil (Decepoc), delegado Robervaldo Davino, também informou que não haverá mudança no esquema de segurança da Secretaria de Defesa Social para este domingo. Dos 800 policiais destacados para o trabalho, participam ainda do trabalho de segurança os 500 novos agentes de polícia ainda em processo de formação pela Academia de Polícia Civil. Ainda de acordo com o delegado Robervaldo Davino, como não há disputas locais, o esquema de segurança não prevê, a exemplo do plano da PM, reforço em municípios onde as disputas partidárias costumam ser mais acirradas. “Vamos garantir o mesmo esquema de distribuição de policiais como forma de evitar imprevistos”, garantiu Robervaldo Davino. Revezamento Ele informou ainda que não haverá revezamento de policiais ou mesmo envio para municípios que não sejam os que usualmente trabalham. Cada delegacia, informa o diretor, vai contar com um delegado, um escrivão e outros cinco agentes. A exemplo dos policiais civis, que vão trabalhar até o final da votação, os militares vão acompanhar ainda o processo de apuração dos votos. O delegado Arivaldo Menezes Marques informou que pelo menos 70 policiais da Polícia Federal vão trabalhar no esquema de segurança do pleito eleitoral deste domingo. Desse total, uma equipe vai ser deslocada a um município do interior. “A maioria do efetivo vai trabalhar na capital. Como se trata de uma disputa nacional, o trabalho transcorrerá dentro da mais absoluta normalidade. Caso haja algum incidente, estaremos de plantão para tomar as providências cabíveis”, garantiu o delegado.

Mais matérias
desta edição