app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5718
Política

TRE destaca tranq�ilidade do processo eleitoral

O presidente do Tribunal Regional Eleitoral (TRE/AL), desembargador Jairon Maia Fernandes, deu nota dez ao segundo turno das eleições em Alagoas. Considerou que o processo foi realizado de forma tranqüila, em todos os aspectos, diferentemente do que aco

Por | Edição do dia 28/10/2002 - Matéria atualizada em 28/10/2002 às 00h00

O presidente do Tribunal Regional Eleitoral (TRE/AL), desembargador Jairon Maia Fernandes, deu nota dez ao segundo turno das eleições em Alagoas. Considerou que o processo foi realizado de forma tranqüila, em todos os aspectos, diferentemente do que aconteceu no primeiro turno, ocorrido no dia seis de outubro, quando alguns pontos negativos foram apontados por ele. “A tranqüilidade já era esperada nessa segunda etapa do pleito, tendo em vista que o eleitor só precisou votar em um candidato, fator que, inclusive, facilitou o trabalho de todos os envolvidos no processo, principalmente do eleitor. Esse aspecto contribuiu para uma votação rápida, com o eleitor levando cerca de cinco segundos para digitar o voto na urna”, afirmou, acrescentando que para o primeiro turno, por sua vez, a nota que dá não passa de um sete e meio. “Isso porque o voto impresso atrapalhou muito o processo. O eleitor não estava familiarizado com a urna eletrônica e com tantos números para digitar, pois precisava escolher seis candidatos. Sou radicalmente contra o voto impresso”, salientou Jairon Maia. Para o presidente do TRE, o grande número de abstenções no segundo turno também já era esperado. “Esse acontecimento foi motivado pelo fato de não haver tantos candidatos na disputa, já que eles é que vão em busca de seus eleitores”, justificou. Neste segundo turno, 13 urnas em Maceió apresentaram defeitos técnicos durante a votação, e mesmo sendo substituídas por outras não funcionaram e o eleitor teve de votar pelo método manual. “No Interior, entretanto, foi tudo tranqüilo, pois nenhuma urna quebrou”, afirmou o presidente do TRE. Segurança Sobre o policiamento, que nesta segunda etapa das eleições teve de ser reforçado na capital alagoana, com o acréscimo de 360 homens, Jairon Maia afirmou que diante do que ocorreu no primeiro turno, quando algumas seções ficaram desguarnecidas de policiais, o TRE não teve outra alternativa senão solicitar reforço ao Comando Geral da PM/AL. “Estudamos a situação anterior e tomamos a iniciativa de solicitar reforço. Desta vez, tudo transcorreu dentro do esperado”, ressaltou. Com relação à falta de transporte para o eleitor, em alguns municípios alagoanos, ele afirmou que nenhum juiz reclamou desse fato. “Até agora, não foi registrada nenhuma ocorrência nesse sentido. Os juízes não fizeram nenhuma reclamação sobre isso“, finalizou.

Mais matérias
desta edição