app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5713
Política

Mais da metade dos candidatos prestaram contas de campanha

Até as 19h30 de ontem, o movimento de candidatos, contadores e representantes dos comitês eleitorais era intenso na sede do Tribunal Regional Eleitoral (TRE/AL), para efetuarem a entrega das prestações de contas da campanha eleitoral. Dos 289 candida

Por | Edição do dia 06/11/2002 - Matéria atualizada em 06/11/2002 às 00h00

Até as 19h30 de ontem, o movimento de candidatos, contadores e representantes dos comitês eleitorais era intenso na sede do Tribunal Regional Eleitoral (TRE/AL), para efetuarem a entrega das prestações de contas da campanha eleitoral. Dos 289 candidatos inscritos no órgão, para concorrer ao pleito deste ano, 170 entregaram o disquete com o Sistema de Prestação de Contas Eleitorais (SPCE), representando um percentual de 58,82%. Já com relação aos comitês financeiros, de um total de 29, também haviam prestado contas mais da metade, ou seja, 17 comitês, correspondente ao percentual de 58,62%. O tribunal havia estabelecido o horário do expediente de ontem, último dia para a entrega da documentação e do disquete, até as 19 horas, porém, como ainda havia muita gente na fila, ainda por volta das 20 horas, o atendimento foi prorrogado, mas apenas para quem estava na fila para entregar a prestação de contas no Protocolo do órgão. Dúvidas Também havia um bom número de pessoas na Coordenadoria de Controle Interno (Cocin), tentando tirar dúvidas a respeito de como preencher os formulários. “É sempre assim, os candidatos deixam para prestar contas de última hora”, afirmou o coordenador de Controle Interno do TRE/AL, Ricardo Araújo e Silva, lembrando que todos os candidatos estavam obrigados a apresentar a prestação de contas, mesmo quem desistiu de concorrer às eleições, renunciou, foi eleito ou não. “Se os eleitos não prestarem contas não poderão ser diplomados. Os que não foram eleitos, que são suplentes, também não poderão ser diplomados, caso precisem assumir o cargo”, alertou. Ele lembra que os processos de prestação de contas são públicos e qualquer interessado pode ter acesso à documentação, mediante requerimento encaminhado ao presidente do TRE, afirmando que quer obter informações sobre os gastos dos candidatos. “Porém, o interessado terá responsabilidade civil e criminal pelo uso das informações”, destacou.

Mais matérias
desta edição