app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5735
Política

Arrecada��o do munic�pio n�o acompanha o ritmo dos vencimentos

O problema, segundo o secretário adjunto da Administração municipal, não está nas conquistas dos servidores, que são legítimas, até que se prove o contrário, mas no que isso tem representado na relação de receita e despesa do município. Por causa de valo

Por | Edição do dia 24/05/2015 - Matéria atualizada em 24/05/2015 às 00h00

O problema, segundo o secretário adjunto da Administração municipal, não está nas conquistas dos servidores, que são legítimas, até que se prove o contrário, mas no que isso tem representado na relação de receita e despesa do município. Por causa de valores pagos na folha de servidores, o prefeito Rui Palmeira chegou a contratar um estudo da Fundação Getulio Vargas, que identificou situações de possíveis inconformidades. “Essas situações foram informadas aos poderes constituídos e disponibilizadas no site da prefeitura, junto com os salários e os dados do relatório da FGV”, lembrou ele. Segundo Balbino, o município chegou a efetuar cortes nas situações ditas inconformes, mas, no direito de defesa, alguns servidores recorreram à Justiça e tiveram garantido como direito os valores recebidos. O secretário adjunto destaca que algumas profissões têm como limite para o fator redutor o salário do prefeito – que é de R$ 20 mil. No entanto, outras têm como referência de teto o salário pago aos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), que é de R$ 33 mil, como é o caso dos procuradores.

Mais matérias
desta edição