app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5736
Política

C�mara busca solu��o para food trucks

A Câmara Municipal de Maceió aprovou, ontem, requerimento de autoria da vereadora Silvânia Barbosa (PPS), solicitando uma Audiência Pública para debater a questão dos Food Trucks, os conhecidos caminhões de comida, uma nova atividade produtiva que se dese

Por | Edição do dia 27/05/2015 - Matéria atualizada em 27/05/2015 às 00h00

A Câmara Municipal de Maceió aprovou, ontem, requerimento de autoria da vereadora Silvânia Barbosa (PPS), solicitando uma Audiência Pública para debater a questão dos Food Trucks, os conhecidos caminhões de comida, uma nova atividade produtiva que se desenvolve na capital alagoana. De acordo com a vereadora, o tema merece ser debatido pelo Poder Legislativo, já que este é um novo segmento que não dispõe de regulamentação no município de Maceió e, exatamente por isso, estão sendo registrados alguns problemas. “Hoje, não se sabe exatamente qual o local em que os veículos devem ficar. Ora é uma rua, ora é uma praça, agora todos estão no Corredor Vera Arruda, mas há uma rejeição por parte de alguns moradores da localidade”, disse ela. Em aparte, o vereador Chico Filho (PP) elogiou a iniciativa de Silvânia Barbosa e disse que a discussão se torna necessária, já que ele deve apresentar um projeto de lei regulamentando a atividade. “Hoje, existe uma associação de food trucks, composta por oito pessoas, mas atuando no mercado de Maceió já há mais de 20 comerciantes”, informou, lembrando que, devido à falta de regulamentação, não existe, por exemplo, uma definição de valor do quanto eles devem pagar por utilização do espaço público. Segundo o parlamentar, com a aprovação do projeto de lei, várias questões, que hoje causam conflitos serão resolvidas, como a definição de um local para a atuação dos comerciantes, definição de taxas públicas a serem cobradas pela Secretaria Municipal de Controle do Convívio Urbano (SMCCU) e horário de funcionamento, entre outras medidas. “A atividade já é comum em outros lugares, não só do Brasil como de outros países, mas em Maceió a regulamentação precisar ser feita e, sobretudo, discutida e debatida com a sociedade”, disse ainda. A Audiência Pública ainda não tem data marcada.

Mais matérias
desta edição