app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5730
Política

Viol�ncia Brasil afora tem casos elevados

Dos 326 mortos em 2014, 163 eram gays (50%), 134 travestis (41%), 14 lésbicas (4%), 3 bissexuais (0,9%) e 7 (2%) amantes de travestis (T-lovers). Quanto à idade, 28% dos LGBT tinham menos de 18 anos ao serem assassinados e 68% das vítimas entre 20 e 60 an

Por | Edição do dia 28/06/2015 - Matéria atualizada em 28/06/2015 às 00h00

Dos 326 mortos em 2014, 163 eram gays (50%), 134 travestis (41%), 14 lésbicas (4%), 3 bissexuais (0,9%) e 7 (2%) amantes de travestis (T-lovers). Quanto à idade, 28% dos LGBT tinham menos de 18 anos ao serem assassinados e 68% das vítimas entre 20 e 60 anos. Apesar da carência de informação sobre 30% das vítimas, 54% eram brancos, 41% pardos e 5% pretos. Os assassinados exerciam 20 diferentes profissões, confirmando a presença do “amor que não ousava dizer o nome” em todas as ocupações e estratos sociais. Predominaram as travestis profissionais do sexo: 37 das vítimas (12%) eram maioria, seguidas de 13 professores, 8 estudantes, 6 cabeleireiras, além de funcionários públicos, comerciantes, aposentados, um padre e um pai de santo. 107 LGBT foram mortos, em 2014, com armas de fogo, sendo 105 com facas, estiletes, tesouras; 49 por espancamento, paulada e apedrejamento; 24 por enforcamento e asfixia, constando ainda envenenamento, carbonização, atropelamento intencional.

Mais matérias
desta edição