app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5736
Política

Apesar dos avan�os na �ltima d�cada, �ndices ainda preocupam

Em dez anos, Maceió apresentou a maior evolução entre 20 regiões metropolitanas do país no Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM), medido na pesquisa da Fundação João Pinheiro, do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud) e do In

Por | Edição do dia 02/07/2015 - Matéria atualizada em 02/07/2015 às 00h00

Em dez anos, Maceió apresentou a maior evolução entre 20 regiões metropolitanas do país no Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM), medido na pesquisa da Fundação João Pinheiro, do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud) e do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) divulgada ontem. O índice saltou de 0,567 no ano 2000 para 0,702 em 2010. No entanto, apesar da melhoria considerável nos três aspectos do IDHM – longevidade, renda e educação da população –, a capital alagoana e dez cidades do entorno continuam em último lugar no ranking. Com o aumento do IDHM, a região de Maceió saiu da faixa de Baixo Desenvolvimento Humano para a de Alto Desenvolvimento Humano em uma década. Entre os anos 2000 e 2010, os três componentes do índice evoluíram. O indicador de longevidade passou de 0,681 para 0,795, numa escala de 0 a 1, equivalendo a um aumento de sete anos na expectativa de vida da população. No quesito renda, o índice variou positivamente de 0,666 para 0,717, o que representa um acréscimo de R$ 188,15 em ganhos reais no período. O IDHM Educação foi o que mais cresceu, passando de 0,402 em 2000 para 0,608 em 2010 – um crescimento de 51%.

Mais matérias
desta edição