app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5731
Política

Renan Filho sugere maior independ�ncia do Nordeste

A criação de estratégias que tornem o Nordeste mais autônomo na condução do seu próprio desenvolvimento econômico e social e menos dependente da tutela do governo federal foi o principal ponto de discussão na audiência que o governador Renan Filho (PMDB)

Por | Edição do dia 31/07/2015 - Matéria atualizada em 31/07/2015 às 00h00

A criação de estratégias que tornem o Nordeste mais autônomo na condução do seu próprio desenvolvimento econômico e social e menos dependente da tutela do governo federal foi o principal ponto de discussão na audiência que o governador Renan Filho (PMDB) teve, ontem pela manhã, em Brasília (DF), com o ministro de Assuntos Estratégicos, Mangabeira Unger. E, nisso, o governador de Alagoas e o ministro concordam: é preciso uma mudança de paradigmas na política econômica e social da região para quebrar um ciclo histórico de dependência, dos estados do Nordeste, de recursos federais para a sua sobrevivência. De acordo com a assessoria de Renan, que acompanhou o encontro, o ministro defendeu que o Nordeste precisa criar uma onda própria de crescimento, identificando alternativas e promovendo instrumentos de organização da política regional. E citou como exemplo a atuação do grupo Brasil Central, formado por governadores do Centro-Oeste e do estado do Tocantins. “Eu desejo ver um Nordeste vivo e independente. O apoio financeiro do governo federal tem que ser enxergado como elemento acessório para algo que já estiver em andamento na região”, destacou o ministro, segundo foi divulgado. Segundo Unger, é preciso quebrar uma postura histórica do Nordeste de buscar recursos federais. “No momento, não há perspectiva de grandes investimentos por parte do governo federal. O Nordeste não deve construir o seu futuro na base de ilusões, mas sim criar uma onda própria de crescimento. Para isso, tem que haver audácia política e criatividade institucional para buscar soluções em períodos de crise”, completou o ministro. Renan, por sua vez, se posicionou favorável ao modelo de desenvolvimento exposto. “Esse é um caminho que precisa ser construído em conjunto pelos governantes do Nordeste. Entendo como primordial tirar ideias do papel e transformá-las em plano com ações concretas”.

Mais matérias
desta edição