app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5731
Política

Rui critica m�dicos que fazem ‘bicos’ no PAM Salgadinho

A greve dos médicos que trabalham no Posto de Atendimento Médico (PAM) Salgadinho, prevista para começar na próxima segunda-feira, foi duramente criticada pelo prefeito Rui Palmeira (PSDB), ontem, em solenidade na capital. Para o prefeito, a paralisação é

Por | Edição do dia 31/07/2015 - Matéria atualizada em 31/07/2015 às 00h00

A greve dos médicos que trabalham no Posto de Atendimento Médico (PAM) Salgadinho, prevista para começar na próxima segunda-feira, foi duramente criticada pelo prefeito Rui Palmeira (PSDB), ontem, em solenidade na capital. Para o prefeito, a paralisação é uma espécie de rebelião contra a implantação do ponto eletrônico, que teria desagradado profissionais que tratam a atividade no município como “bico”, nas palavras de Rui. O gestor avisou que quem aderir à greve terá o ponto cortado e que o município tomará as medidas jurídicas necessárias caso a paralisação ocorra. Até ontem, no entanto, a prefeitura não havia sido comunicada oficialmente sobre a greve, de acordo com Palmeira. “Nós não temos qualquer comunicado oficial de quem quer que seja. Vamos aguardar e tomar as medidas jurídicas cabíveis. Se a greve não tiver respaldo legal, nós vamos cortar o ponto [dos grevistas]. Na verdade, essa greve nada mais é do que uma reação à instalação do ponto eletrônico. Isso está muito claro, porque os problemas relatados pelo Sindicato dos Médicos são problemas de 30 anos”, declarou o prefeito. À imprensa, Rui Palmeira afirmou que a prefeitura não voltará atrás na implantação dos aparelhos que controlam o cumprimento do expediente dos funcionários e ainda condenou a postura de médicos que não cumprem a carga horária devida. “Tem médico no PAM que ganha R$ 25 mil, R$ 30 mil e vai trabalhar uma vez por semana. É inconcebível. Ele tem que dar o mínimo, que são as 40 horas semanais. O PAM tem problemas, nós admitimos isso. Agora essa greve, para mim, é uma reação ao ponto eletrônico. Nós não vamos abrir mão, vamos manter a política do ponto não só para o PAM, mas para todas as unidades de saúde”, garantiu.

Mais matérias
desta edição