app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5735
Política

AL recebe R$ 10 mi para carros-pipa

Alagoas recebeu do Ministério da Integração Nacional a última parcela do repasse financeiro de R$ 10 milhões para distribuição de água potável por meio de carros-pipa, visando ao abastecimento dos municípios afetados por seca ou estiagem no Estado. A port

Por | Edição do dia 07/08/2015 - Matéria atualizada em 07/08/2015 às 00h00

Alagoas recebeu do Ministério da Integração Nacional a última parcela do repasse financeiro de R$ 10 milhões para distribuição de água potável por meio de carros-pipa, visando ao abastecimento dos municípios afetados por seca ou estiagem no Estado. A portaria autorizando o repasse foi publicada no Diário Oficial da União de ontem. A quantia é referente a uma parcela do convênio de R$ 20 milhões garantidos através de um termo de compromisso assinado pelo ministro da Integração Nacional, Gilberto Occhi, e o governador Renan Filho (PMDB), para o combate emergencial à seca em Alagoas. Do valor total, R$ 10 milhões serão utilizados para distribuição de água por carros-pipa, R$ 9 milhões e 200 mil para a construção de uma adutora na cidade de Mata Grande e o restante – de R$ 800 mil – para assoreamento dos municípios. Ao todo, 38 municípios alagoanos se encontram em estado de emergência por causa da seca e serão beneficiados pelos recursos do governo federal. São eles Água Branca; Arapiraca; Batalha; Belo Monte; Cacimbinhas; Canapi; Carneiros; Craíbas; Coité do Noia; Delmiro Gouveia; Dois Riachos; Estrela de Alagoas; Girau do Ponciano; Inhapi; Igaci; Jacaré dos Homens; Jaramataia; Lagoa da Canoa; Major Izidoro; Maravilha; Mata Grande; Minador do Negrão; Monteirópolis; Olho D’Água das Flores; Olho D’Água do Casado; Olivença; Ouro Branco; Palestina; Palmeira dos Índios; Pão de Açúcar; Pariconha; Piranhas; Poço das Trincheiras; Quebrangulo; Santana do Ipanema; São José da Tapera; Senador Rui Palmeira e Traipu. CRISE O Estado informou que, por causa da seca, os municípios tiveram perdas significativas dentro da agricultura e da agropecuária local, e a população enfrentou problemas de abastecimento de água para o consumo humano e animal. A situação de anormalidade foi reconhecida através de prova documental estabelecida por Formulários de Informação de Danos (Fide).

Mais matérias
desta edição