app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5730
Política

V�deo mostra a��o truculenta do MPF

O senador Fernando Collor (PTB) ilustrou seu pronunciamento, na tarde de ontem, com vídeo revelador da “ação truculenta e ilegal de agentes da Procuradoria-Geral da República (PGR) e da Polícia Federal (PF)”, durante o cumprimento do “suposto mandado de b

Por | Edição do dia 25/08/2015 - Matéria atualizada em 25/08/2015 às 00h00

O senador Fernando Collor (PTB) ilustrou seu pronunciamento, na tarde de ontem, com vídeo revelador da “ação truculenta e ilegal de agentes da Procuradoria-Geral da República (PGR) e da Polícia Federal (PF)”, durante o cumprimento do “suposto mandado de busca e apreensão” no imóvel funcional do senador, cedido ao parlamentar, em Brasília (DF). Ele revelou também que foi denunciado pela Procuradoria-Geral da República antes de ser ouvido em inquérito, para esclarecer e se defender das acusações que lhe são imputadas. Collor ressaltou o fato de que, mesmo após ser denunciado, os seus advogados não tiveram acesso ao conteúdo das acusações. Ao exibir o vídeo da operação de busca e apreensão, que aconteceu em 14 de julho, realizada pelas equipes da PGR e da PF, Collor reiterou sua denúncia de que houve abuso de poder e arbitrariedade a mando do procurador-geral, Rodrigo Janot, por ocasião da violação e arrombamento de um imóvel do Senado da República. Nas imagens, é possível observar que agentes da Polícia Legislativa pedem as equipes para ter acesso ao “suposto mandado” em respeito à uma resolução do Senado. Porém, as equipes da PGR e PF se negam a cumprir a resolução e não apresentam o mandado, ameaçando o agente da Polícia Legislativa de prisão. “Os relatórios da Polícia Legislativa mostram bem o perfil do atual grupelho que se instalou na PGR. São agentes truculentos que se negam a cumprir o que determina a resolução do Senado, que já foi, inclusive, em 2014, reconhecida como legítima pelo próprio Janot. A truculência, como se pode observar nas imagens, mostra que eles rasgaram a resolução do Senado que versa sobre a necessidade de o mandado ser cumprido com a presença da Polícia Legislativa”, narrou o senador, tendo em mãos o extenso relatório das “arbitrariedades”. Em virtude dos relatórios e do vídeo, Collor revelou que vai encaminhar o material à Comissão Diretora da Casa para que ela tome conhecimento da realidade dos fatos e apure os abusos cometidos contra o Senado Federal. Collor alertou que se assim agem em relação a um representante da população, imaginem também o que não podem fazer em relação à privacidade dos ambientes particulares, como na casa de trabalhadores ou em estabelecimentos comerciais.

Mais matérias
desta edição