app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5730
Política

Rui estuda cortar mais cargos comissionados

O atraso deliberado no pagamento de fornecedores é apenas o começo. Ontem, ao avaliar a situação financeira do município - que só piora após sucessivas quedas de receita -, o prefeito Rui Palmeira (PSDB) classificou o cenário como “desesperador” e afirmou

Por | Edição do dia 26/08/2015 - Matéria atualizada em 26/08/2015 às 00h00

O atraso deliberado no pagamento de fornecedores é apenas o começo. Ontem, ao avaliar a situação financeira do município - que só piora após sucessivas quedas de receita -, o prefeito Rui Palmeira (PSDB) classificou o cenário como “desesperador” e afirmou que já cogita tomar outras medidas dramáticas para conter despesas e evitar, assim, atrasar o pagamento da folha de pessoal. Uma delas seria o corte de mais funcionários comissionados e a suspensão de projetos e serviços que não estão recebendo os devidos repasses de recursos federais. “A demissão é cogitada. No ano passado exoneramos cem [comissionados] e diminuímos os salários de secretários e dos outros cargos mais altos. E, sem dúvida, já estamos pensando em fazer isso de novo”, afirmou Palmeira à Gazeta. O prefeito também revelou que a nova Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Benedito Bentes, já construída, não será inaugurada enquanto o governo federal não voltar a enviar recursos. “Já pedi que o processo da UPA do Benedito Bentes fique sobrestado até a gente ter a segurança de que esse dinheiro vem. Não adianta a gente abrir duas unidades novas e o governo federal não mandar os recursos. Vai abrir para fechar? Então a gente vai segurar. Sem os repasses, vamos retrair algumas expansões que a gente estava imaginando”, disse Rui. Ele explicou que a unidade do bairro do Trapiche será aberta à população no final desse mês com o aporte do governo do Estado e, só então, o futuro da UPA da parte alta da cidade será reavaliado. “Vamos abrir com segurança a do Trapiche e sentir se o governo federal vai mandar o dinheiro. Ontem conversei com o governador [Renan Filho] e ele também se mostrou bastante preocupado com isso”.

Mais matérias
desta edição