app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5718
Política

Pol�ticos pedem que Neno� Pinto continue na presid�ncia da Ceal

Lideranças políticas de Alagoas manifestaram, ontem, apoio à permanência do engenheiro Nenoí Pinto na presidência da Companhia Energética de Alagoas (Ceal), que se encontra na cota do PFL dos cargos federais no Estado. O prefeito de Piranhas, Ignácio L

Por | Edição do dia 14/03/2002 - Matéria atualizada em 14/03/2002 às 00h00

Lideranças políticas de Alagoas manifestaram, ontem, apoio à permanência do engenheiro Nenoí Pinto na presidência da Companhia Energética de Alagoas (Ceal), que se encontra na cota do PFL dos cargos federais no Estado. O prefeito de Piranhas, Ignácio Loiola (PSDB), acha que não há necessidade de Nenoí Pinto deixar a presidência da Ceal. Ele lembrou que Nenoí chegou ao cargo com o aval do deputado federal José Thomaz Nonô (PFL) e o respaldo do senador Renan Calheiros (PMDB). Para Loiola, “não se tira do cargo a pessoa que vem dando certo”. Ele disse que o engenheiro Nenoí Pinto, em menos de 60 dias de empossado, mudou o diálogo da empresa com o consumidor, principalmente os grandes consumidores. Antes, recordou o prefeito, “a porta estava fechada ao diálogo, especialmente com os prefeitos e “não podemos retornar ao passado com figuras para-quedistas que vinham de fora ditando moda e sem diálogo”, comentou o prefeito de Piranhas. O modelo de administrar de Nenoí Pinto também repercutiu na Assembléia Legislativa, onde o deputado estadual Cícero Amélio (PPS) disse que desde a federalização da Ceal, a Eletrobrás acertou ao indicar o engenheiro Nenoí Pinto. Amélio informou que a Ceal, administrada pelo mineiro Uílton Roberto Rocha, voltou ao vermelho, onde o balanço deste ano vai apontar um prejuízo de 60 milhões. A prefeita de Arapiraca, Célia Rocha (PSDB), apontou que com Nenoí Pinto o projeto Luz do Campo voltou a ser discutido. “Alagoas é o único Estado que o projeto anda a passo de tartaruga”. Célia acha que os tucanos também devem apoiar a permanência de Nenoí Pinto. A deputada estadual Ziane Costa (PTB) acredita que não é hora de substituir Nenoí Pinto. “O que está acontecendo em Brasília é uma crise entre PSDB e PFL, onde a Ceal deve ficar de fora”. O presidente do PMDB, ex-deputado federal José de Oliveira Costa, considera que Nenoí Pinto deu, em pouco tempo, uma sintonia do povo com a empresa, portanto, disse ele, “não é tirando Nenoí Pinto que será resolvida a crise entre PFL e PSDB”. A vereadora da Barra de São Miguel, Mana Soriano, também presidente do PFL feminino em Alagoas, é de opinião que Nenoí não deve pedir para sair. Para ela, “a permanência de Nenoí é importante, porque é um alagoano que deve dirigir a empresa, jamais um forasteiro que não tem compromisso com nada e apenas interesse de privatizar a empresa”.

Mais matérias
desta edição