app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5713
Política

C�mara quer disciplinar uso da �gua

A Câmara Municipal de Maceió pretende disciplinar a utilização racional dos mananciais de superfície e subterrâneo em Maceió. A decisão foi anunciada ontem pelos vereadores Thomaz Beltrão (PT) e Marcos Vieira (PSB) durante debate sobre a utilização racion

Por | Edição do dia 19/03/2002 - Matéria atualizada em 19/03/2002 às 00h00

A Câmara Municipal de Maceió pretende disciplinar a utilização racional dos mananciais de superfície e subterrâneo em Maceió. A decisão foi anunciada ontem pelos vereadores Thomaz Beltrão (PT) e Marcos Vieira (PSB) durante debate sobre a utilização racional da água na capital alagoana. Durante o debate, o professor Manuel Maia Nobre, do Departamento de Geociências da Ufal, alertou para falta de dados científicos para que se possa fazer um estudo de impacto ambiental, como também para a falta de critérios de exploração dos mananciais de superfície e subterrâneo. “Já existem evidências concretas de superexploração dos nossos mananciais, por isso ressalto a necessidade de que a Secretaria de Recursos Hídricos no Estado passe a agilizar critérios com embasamento técnicos e científicos para autorização de exploração dos mananciais de superfície ou subterrâneo”, acrescentou. Qualidade Já o professor da Ufal e técnico da casal Abel Tenório revela que os mananciais de Maceió podem ser utilizados sem afetar a qualidade e quantidade dos recursos hídricos disponíveis. “Para isso é preciso que seja criado mecanismo regulador para exploração da água”, ressaltou Abel Tenório, acrescentando que hoje o maior problema da água é sua utilização desordenada. O vereador Marcos Vieira se mostrou preocupado com os dados apresentados pela equipe de professores da Universidade Federal de Alagoas (Ufal). “Precisamos levar este debate além desta sessão. Sugiro que realizemos seminários e ciclos de estudos para encontrarmos uma saída para a questão da sustentabilidade dos nossos recursos hídricos”, ressaltou Vieira, acrescentando que esta discussão tem que fazer parte do Plano Diretor da cidade de Maceió.

Mais matérias
desta edição