app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 0
Política Prefeito JHC disse que “deixar isso acontecer é uma negligência e falta de compromisso”

PENDÊNCIA DA GESTÃO RUI DEIXA MACEIÓ SEM RECURSOS FEDERAIS

Ex-prefeito não entregou um documento ao Sistema Auxiliar de Informações para Transferências Voluntárias, do governo federal

Por HEBERT BORGES e JONATHAS MARESIA | Edição do dia 14/01/2021 - Matéria atualizada em 13/01/2021 às 22h13

Prefeito JHC disse que “deixar isso acontecer é uma negligência e falta de compromisso”

O prefeito de Maceió, JHC (PSB), encontrou a prefeitura da capital alagoana impossibilitada de receber recursos federais e até as emendas parlamentares da bancada do estado. O motivo foi o fato de a gestão do ex-prefeito Rui Palmeira (sem partido) não ter entregue um documento ao Sistema Auxiliar de Informações para Transferências Voluntárias (Cauc), do governo federal, e, com isso, a prefeitura consta no sistema como inadimplente, conforme extrato do sistema.

Conforme o extrato do CAUC ao qual a Gazeta teve acesso, o documento negligenciado pela gestão de Rui Palmeira é o anexo 8 do Relatório Resumido de Execução Orçamentária, que diz respeito ao orçamento da Educação. O anexo é referente ao 5° semestre de 2020. A União só pode transferir recursos financeiros, de modo voluntário, como convênios e termos de parceria, se os gestores tiverem satisfeito as exigências do sistema.

À Gazeta, JHC se disse preocupado e indignado diante da situação. Apesar do tamanho do desafio, o prefeito disse que já trabalha para reverter a situação e classificou o desleixo do seu antecessor como ‘irresponsabilidade”. “Deixar isso acontecer é uma negligência e falta de compromisso com a gestão pública. Vou trabalhar duro para reverter essa situação o quanto antes. Maceió não pode ser penalizada por essa irresponsabilidade”, declarou o prefeito. Atualmente, o CAUC verifica o cumprimento de quatorze exigências de municípios e quinze de estados e do Distrito Federal. O sistema é responsável por disponibilizar informações acerca da situação de cumprimento de requisitos fiscais necessários à celebração de instrumentos para transferência de recursos do governo federal.

A reportagem da Gazeta entrou em contato com a assessoria de comunicação do ex-prefeito Rui Palmeira. Em nota, quem se pronunciou foi a ex-secretária de Educação de Maceió, Ana Dayse Dorea, que informou o seguinte:

"Por uma inconsistência no arquivo das folhas salariais do magistério, referentes aos meses de setembro e outubro de 2020, o relatório de execução orçamentária da Educação do 5 Bimestre não foi enviado. Todavia, a gestão anterior deixou a documentação pronta para ser encaminhada neste início de 2021, o que deverá ocorrer tão logo o novo secretário municipal de Educação esteja oficialmente apto a cumprir com as normas burocráticas deste envio. Outrossim, reafirmo que a transparência, a seriedade e o compromisso público nortearam a minha administração na Educação de Maceió.

Ana Dayse Dorea

Ex-secretária de Educação de Maceió"

Mais matérias
desta edição