app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 0
Política

CASO PINHEIRO: CASAL QUER SER INDENIZADA

.

Por Lucas Rocha | Edição do dia 23/02/2021 - Matéria atualizada em 22/02/2021 às 19h49

Os Ministérios Públicos Federal (MPF) e estadual (MPAL) se reuniram, na quinta-feira (18), com representantes da Companhia de Saneamento de Alagoas (Casal) e da empresa Braskem, para debater questões relacionadas à Estação de Tratamento de Água (ETA) do Sistema Cardoso, localizada nas proximidades da região afetada pela instabilidade do solo, em decorrência da exploração de sal-gema em Maceió. No encontro, o órgão solicitou a inclusão no processo de indenização em virtude de problemas na estação de Bebedouro. A Força Tarefa (FT) do MPF em Alagoas para o Caso Pinheiro (que trata do afundamento do solo nos bairros Mutange, Bebedouro, Bom Parto e Farol) e o promotor titular da Promotoria de Urbanismo do MPAL receberam dos representantes da Companhia de Saneamento, pareceres que apontam que estação, que é responsável pelo abastecimento de cerca de 20% da população no município, no entender da companhia, pode estar sendo afetada pelo afundamento do solo, por localizar-se às margens da área de risco definida no Mapa de Setorização. Assim sendo, a companhia pediu participação da Ação Civil Pública (ACP) nº 0806577-74.2019.4.05.8000, que buscou a responsabilização socioambiental da Braskem, pretendendo ser incluída como parte requerente na ACP indenizatória.

Mais matérias
desta edição