app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 0
Política

Ministro do Trabalho promete reduzir a taxa de desemprego

Brasília – O novo ministro do Trabalho, Ricardo Berzoini, prometeu ontem reduzir a taxa de desemprego brasileira para menos de 10%. Não explicou em quanto tempo pretende conseguir isso. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o d

Por | Edição do dia 28/01/2004 - Matéria atualizada em 28/01/2004 às 00h00

Brasília – O novo ministro do Trabalho, Ricardo Berzoini, prometeu ontem reduzir a taxa de desemprego brasileira para menos de 10%. Não explicou em quanto tempo pretende conseguir isso. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o desemprego atingia, ao final de dezembro do ano passado, 10,9% da População Economicamente Ativa (PEA). “Queremos reduzir o desemprego para um dígito, achamos que o desemprego em dois dígitos não é adequado a um país como o Brasil. (...) Gerar emprego de qualidade é uma meta permanente do nosso governo”, disse Berzoini, após cerimônia realizada em Brasília em que recebeu o cargo do ex-ministro do Trabalho Jaques Wagner. A estratégia Berzoini, que deixou o Ministério da Previdência para ocupar a nova pasta, disse também que as prioridades de sua gestão serão, além da redução do desemprego, as reformas sindical e trabalhista e o fortalecimento das políticas de formação profissional. A estratégia, segundo ele, será focar as políticas de crescimento em setores onde a geração de emprego seja mais forte, como saneamento e construção civil. Pressão Ao tomar posse como titular do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social, o então ministro do Trabalho, Jaques Wagner disse ontem que a sua inclusão na coordenação de governo, anunciada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, vai possibilitar um “canal mais aberto” para a sociedade pressionar o Planalto. “Pressão faz o Congresso, faz a sociedade civil, fazem os empresários, e o conselho pode fazer também. Não vejo nenhum constrangimento. O debate, o conselho vai fazer, só que agora o conselho vai ter um canal mais dentro do governo pelo fato de eu estar na coordenação política.” A primeira reunião do grupo, ampliado, está marcada para sexta-feira. Segundo Wagner, será dada prioridade para o debate sobre a geração de trabalho, emprego e renda.

Mais matérias
desta edição