app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5756
Política

Roseana entrega lista de doa��o de R$ 1,3 milh�o

Brasília – A equipe de advogados da ex-governadora do Maranhão, Roseana Sarney, e do marido  dela, Jorge Murad, entregou ontem à Justiça uma lista com os nomes  do supostos doadores de R$ 1,34  milhão encontrados na sede da  empresa Lunus. Segundo o adv

Por | Edição do dia 10/04/2002 - Matéria atualizada em 10/04/2002 às 00h00

Brasília – A equipe de advogados da ex-governadora do Maranhão, Roseana Sarney, e do marido  dela, Jorge Murad, entregou ontem à Justiça uma lista com os nomes  do supostos doadores de R$ 1,34  milhão encontrados na sede da  empresa Lunus. Segundo o advogado Antonio Carlos Castro, os doadores são oito empresários amigos da família Sarney que “acreditam na candidatura Roseana”. O advogado Antonio Carlos Castro levou a lista ao Tribunal Regional Federal da 1ª Região, em Brasília. Ele não divulgou os nomes dos empresários, que teriam realizado a doação como pessoa física. Os valores do dinheiro que cada um dos empresários teria doado à campanha da pefelista estão discriminados na lista. O juiz Mario Sergio Ribeiro, da 2ª Seção do TRF, que recebeu a documentação, disse que vai analisar o material “calmamente” e que não divulgará seu conteúdo no momento (os nomes dos doadores, por exemplo). Responsabilidade Jorge Murad assumiu no mês passado a responsabilidade pelo R$ 1,34 milhão encontrado na empresa – que pertence a ele e a Roseana. Após várias versões sobre a origem do dinheiro, o marido da pefelista declarou que a quantia seria usada na pré-campanha da mulher à Presidência, sem, contudo, revelar a origem dela. O nome de Murad, por sinal, consta na lista de doadores apresentada à Justiça. Ele teria dado R$ 200 mil à campanha. Um irmão de Roseana e um parente de Murad também estão na lista. Fernando José Sarney teria feito uma doação de R$ 150 mil e Emílio Jorge Murad, R$ 100 mil. Os outros doadores são: João Claudino (R$ 300 mil), Rosalino Lima e Silva (R$ 100 mil), Roberto Casemiro Dias (R$ 150 mil), Nicolau Duailib Neto (R$ 100 mil), Henry Miguel Duailib (R$ 100 mil) e Antônio Klinger de Souza (R$ 150 mil). A somatória dos valores ultrapassa em R$ 10 mil o R$ R$ 1,34 milhão encontrado na sede da empresa Lunus pela Polícia Federal. Lista A divulgação da lista de doadores não foi suficiente para encerrar a polêmica em torno da origem do dinheiro. A avaliação predominante no Congresso é que a demora em apresentar a lista de doadores acabou prejudicando a credibilidade da candidata do PFL, principalmente depois de seis versões diferentes para explicar a origem do dinheiro. Parlamentares do governo e da oposição também estranharam que um terço das doações tenha sido feita pelo próprio Murad e por parentes dele e de sua mulher Roseana. “Cada vez fica mais difícil acreditar nas explicações da Roseana”, disse o deputado José Genoíno (PT-SP). “Era uma lista muito fácil de ser mostrada 24 horas depois da apreensão do dinheiro”, observou o vice-presidente do PSDB, deputado Alberto Goldman (SP). “A demora não contribui para dar credibilidade à informação”, completou.

Mais matérias
desta edição