app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5715
Política

CPI do Produban adia apresenta��o do relat�rio final para a pr�xima 3� feira

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), que apura a liquidação do Banco do Estado de Alagoas (Produban), transferiu para a próxima terça-feira a apresentação do seu relatório final, que estava prevista para ontem à tarde. O adiamento ocorreu porque f

Por | Edição do dia 12/04/2002 - Matéria atualizada em 12/04/2002 às 00h00

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), que apura a liquidação do Banco do Estado de Alagoas (Produban), transferiu para a próxima terça-feira a apresentação do seu relatório final, que estava prevista para ontem à tarde. O adiamento ocorreu porque faltaram deputados suficientes à reunião, que seria realizada no plenário da Assembléia Legislativa. Apenas o presidente e o relator da CPI, Francisco Tenório (PPS) e Paulo Nunes (PT), compareceram. O relatório traz um balanço da situação do Produban antes e depois do processo de liquidação, apontando ativo, passivo e os créditos que o banco tem a receber. Um dos capítulos é dedicado exclusivamente à dívida do setor sucroalcooleiro. A Comissão de Inquérito também relaciona os principais devedores da instituição e os valores que deixaram de ser pagos, bem como os responsáveis pelo processo de insolvência da instituição. Segundo Francisco Tenório, depois que o relatório do deputado Paulo Nunes for entregue, às 11 horas da terça-feira, os demais membros da CPI vão analisá-lo. Resposta “Acredito que daremos uma resposta em 8 dias, aprovando o documento como está ou fazendo alguns ajustes”, afirmou. Para o parlamentar, a comissão está concluindo um trabalho importante, que também servirá de base para que o governo decida se o banco voltará para o Estado. Após aprovação do texto final do relatório, ele será encaminhado ao Ministério Público (estadual e federal), governo do Estado, Congresso Nacional, Banco Central e Tribunal de Contas (Estadual e da União), entre outros órgãos. A CPI deve pedir ao Ministério Público que dê seqüência às apurações penais, para punir aqueles que contribuíram para a falência do banco.

Mais matérias
desta edição