app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5756
Política

PF manda delegado de Bras�lia para caso Cefet

GILVAN FERREIRA Relatório assinado pelo chefe da Corregedoria da Polícia Federal em Alagoas, delegado Joacir Avelino, encaminhado ao coordenador-geral de Correições da Polícia Federal, em Brasília, Paulo Correia Iung, questiona a participação do ex-s

Por | Edição do dia 24/03/2004 - Matéria atualizada em 24/03/2004 às 00h00

GILVAN FERREIRA Relatório assinado pelo chefe da Corregedoria da Polícia Federal em Alagoas, delegado Joacir Avelino, encaminhado ao coordenador-geral de Correições da Polícia Federal, em Brasília, Paulo Correia Iung, questiona a participação do ex-superintendente da Polícia Federal em Alagoas, delegado Bergson Toledo (atualmente superintendente da PF no Ceará), na apuração das denúncias de irregularidades no concurso público realizado em 1993 pelo Centro Federal de Educação Tecnológica (Cefet) ex-Etfal, na Unidade Descentralizada de Palmeira dos Índios. A GAZETA apurou que o relatório do corregedor Joacir Avelino, recebido ontem pela Correição da PF em Brasília, levanta dúvidas e supostas omissões do delegado Bergson Toledo na apuração das denúncias contra o diretor do Cefet, Mário César Jucá, e sua esposa, a odontóloga Maria Augusta Cunha Lima Jucá, acusados, respectivamente, de prevaricação e falsidade ideológica no concurso de 1993. O corregedor Paulo Iung foi indicado pelo diretor-geral da Polícia Federal, Paulo Bezerra, para investigar os procedimentos de Bergson Toledo na presidência do inquérito sobre o caso Cefet, entre novembro e dezembro de 2002, depois de denúncias de outra candidata, Maria Sueli Macedo, sobre suposto favorecimento a Maria Augusta Jucá. O delegado Iung deve chegar a Alagoas na próxima sexta-feira para ouvir os depoimentos do delegado Bergson Toledo – que deverá vir de Fortaleza (CE) para depor – e do delegado-corregedor Joacir Avelino, que foi o primeiro presidente do inquérito que apurou as denúncias de irregularidades no Cefet/AL. Depois de tomar os depoimentos em Maceió, o delegado Iung vai decidir se abre um Procedimento Administrativo Disciplinar (PDA) contra Bergson Toledo, como acusado de prevaricação, ou, caso ache que as investigações de 2002 foram bem conduzidas por Toledo, poderá recomendar o arquivamento do caso.

Mais matérias
desta edição