app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 0
Política

VOLTA ÀS AULAS NA PANDEMIA É DISCUTIDA

.

Por null | Edição do dia 22/07/2021 - Matéria atualizada em 21/07/2021 às 20h38

Presidente da Comissão de Educação da Assembleia Legislativa, a deputada Jó Pereira pontuou a importância da definição de uma data (16 de agosto) para o retorno às aulas presenciais de forma segura na rede pública de Alagoas, dando aos responsáveis pelos alunos a opção de permanência no ensino remoto, e reforçou a necessidade de ampliar a testagem em relação à Covid-19, principalmente para os profissionais da educação. A parlamentar participou, na segunda-feira (19), de uma reunião híbrida, coordenada pela Associação dos Municípios Alagoanos (AMA), para discutir o assunto. A deputada sugeriu que, tanto no calendário de retorno às aulas quanto na testagem, seja dada prioridade às crianças e adolescentes mais vulneráveis - aos filhos das mães que precisam trabalhar e não têm onde deixá-los e aos alunos que não têm acesso a alimentação adequada, por exemplo -, e aos filhos dos profissionais da saúde. Ela propôs ainda que, se colocando no lugar do governo federal, a Secretaria de Estado da Educação (Seduc) assuma a coordenação regionalizada de um grupo de trabalho para discutir e planejar todas as ações envolvidas nessa volta, aproveitando as experiências bem sucedidas dos municípios que já retornaram.

INFANTIL

Outra prioridade cobrada pela parlamentar foi em relação à educação infantil: “Acredito que a gente precisa priorizar a pré-escola, porque além dela ser obrigatória, é o início da alfabetização de muitas das nossas crianças. Garantindo pelo menos a pré-escola no recorte da educação infantil, começando por ela, a gente muito tem muito que ganhar, aprender e adaptar para as outras etapas da educação infantil, englobando a creche posteriormente”. “Já estamos há quase um ano e seis meses nesse processo, tempo suficiente para fazermos o retorno às aulas presenciais de forma planejada. Não podemos aguardar mais, não podemos deixar a educação sempre ficar para depois, enquanto vemos a reabertura de restaurantes, parques de diversões. Não sou contra a reabertura, mas sou a favor da abertura prioritária das escolas. A educação é prioridade absoluta e precisa ser uma política pública estruturante. O desenvolvimento da educação, a sala de aula são as vacinas que temos contra a prevalência da pobreza e o subdesenvolvimento”, analisou Jó.

Mais matérias
desta edição