app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 0
Política

Deputado defende hospital acusado de fraude

MARCOS RODRIGUES O deputado Adalberto Cavalcante (Prona), que é médico e cirurgião no Hospital Municipal de São Brás (a 179 Km de Maceió, na região do baixo São Francisco), disse que está tranqüilo quanto à possibilidade da unidade ser investigada pela P

Por | Edição do dia 30/05/2004 - Matéria atualizada em 30/05/2004 às 00h00

MARCOS RODRIGUES O deputado Adalberto Cavalcante (Prona), que é médico e cirurgião no Hospital Municipal de São Brás (a 179 Km de Maceió, na região do baixo São Francisco), disse que está tranqüilo quanto à possibilidade da unidade ser investigada pela Polícia Federal, Ministério Público (Federal e Estadual), além do Conselho Regional de Medicina, por conta do “caso das laqueaduras” fraudadas, denunciadas pela TV e Jornal GAZETA. Ele disse que os dados disponíveis na internet informando que no hospital ocorreram cirurgias de câncer de ovários e útero são resultado de um erro de digitação. “ Nós já suspeitávamos disso, mas só foi confirmado depois. Não foi realizada nenhuma cirurgia de câncer de ovário, até porque o hospital não tem autorização para isso. Nós só realizamos procedimentos eletivos autorizados pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Por isso estou tranqüilo, assim como o prefeito e o secretário de saúde do município”, disse Adalberto. Para o parlamentar, que tem base eleitoral no município, o que existe é “politicagem”. Um vereador do município, José Marcos da Silva (Quinha) é apontado como uma das pessoas que articula o transporte de mulheres para o município de São Brás. Ele mantém relações com o deputado Adalberto Cavalcante, confirmada pelo próprio parlamentar. “Mas o vereador não procurava as pessoas. Pelo que vi (reportagem na TV) as pessoas diziam que o tinham procurado. E se está acontecendo é porque a saúde em Taquarana está deficiente. Estão tentando criar fato para desestabilizar politicamente familiares meus que estão em processo de disputa. O secretário de saúde do município já franqueou os documentos necessários para que sejam investigados”, afirmou. Isenção Como atua na unidade hospitalar como médico, especializado em angianlogia, Adalberto preferiu não se posicionar sobre os procedimentos que podem ter havido para esterilização das mulheres. Ele preferiu assegurar que quanto aos seus procedimentos, como profissional, não teme nenhum processo de investigação que possa ser desenvolvido na direção do hospital. O deputado revelou ainda que a Secretaria Estadual de Saúde está concluindo uma auditoria na qual as primeiras informações não apontariam para irregularidades. “Se o laudo preliminar já mostra isso, acredito que não precisa avançar mais e sim parar por aí, porque está ficando claro que existe é politicagem”, disse o deputado. Articulação A entrevista do deputado Adalberto Cavalcante ocorreu uma semana após a divulgação das informações sobre as irregularidades. Mesmo afirmando que não existem fraudes nas Autorizações para Internação Hospitalar (AIH’s), ele marcou um encontro com a presidente da Comissão de Saúde, deputada Maria José Viana (PSB). Os dois não chegaram a se reunir, mas foi o suficiente para, no campo político, o caso não ganhar repercussão na Assembléia Legislativa. Procurada pela reportagem, a deputada preferiu aguardar detalhes que serão apresentados por seu colega de parlamento. “Não tenho muitas informações sobre o que está ocorrendo, por isso prefiro também ouvir o outro lado para opinar”, ponderou a deputada. Documentos A partir dos documentos conseguidos pela GAZETA, baseados nas informações repassadas pela Secretaria Municipal de Saúde de São Brás ao Ministério da Saúde, de fato ocorreram centenas de cirurgias de câncer de ovário na unidade hospitalar. Num dos procedimentos, a dona-de-casa Ana Conseição dos Santos, 23, faleceu dias depois, vítima de infecção generalizada. Segundo sua família, ela foi submetida a uma cirurgia de laqueadura (ligadura) de trompas em São Brás. O caso não foi investigado. O passo decisivo, porém, para o esclarecimento definitivo do “caso das laqueduras” será dado pela Polícia Federal. A pedido do procurador da república Marcelo Toledo da Silva, será indicado um delegado especial para realizar as primeiras investigações. A ida ao município ainda não foi definida, mas pode ser acontecer esta semana.

Mais matérias
desta edição