app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 0
Política

POLICIAIS CIVIS AMEAÇAM GREVE POR FALTA DE GARANTIA DE REAJUSTE

Representantes da categoria se reuniram ontem com secretário do Planejamento, mas saíram do encontro frustrados

Por thiago gomes | Edição do dia 28/01/2022 - Matéria atualizada em 27/01/2022 às 22h30

O presidente do Sindicato dos Policiais Civis de Alagoas (Sindpol/AL), Ricardo Nazário, informou que a categoria deve entrar em greve, nos próximos dias, já que não recebeu a garantia, do governo do Estado, de que o projeto de lei que trata do reajuste salarial e da verba de vestimenta destes servidores será enviado à Assembleia Legislativa de Alagoas (ALE). Uma comitiva ligada à entidade se reuniu com o secretário de Estado do Planejamento, Gestão e Patrimônio, Fabrício Marques, na manhã desta quinta-feira (27), mas saiu do encontro frustrada, sem a perspectiva de que esta reivindicação será atendida.

Em vídeo compartilhado nas redes sociais e com a imprensa, Nazário fala aos policiais que ouviu de Fabrício Marques a confirmação de que a proposta ainda não foi protocolada no Poder Legislativo por culpa do governador Renan Filho (MDB) e do secretário de Estado da Segurança Pública, Alfredo Gaspar de Mendonça Neto. “O secretário Fabrício Marques deixou claro que o governador não quer enviar o projeto para a Assembleia Legislativa. Isto só poderia acontecer quando o governo elaborasse uma proposta que contemplasse todas as categorias de servidores estaduais”, destacou o presidente do Sindpol/AL.

Diante da falta de garantia de que a matéria seria repassada ao Parlamento, Nazário adiantou que os policiais civis de Alagoas ‘deveriam se preparar para uma grande greve, que irá parar o Estado’. Segundo ele, a categoria ‘merece respeito por parte do governador Renan Filho. A assembleia para decidir pela greve deverá acontecer na semana que vem, em local e horários a serem definidos.

Nessa quarta-feira (26), os sindicalistas ocuparam uma das salas da Secretaria de Estado do Planejamento, Gestão e Patrimônio (Seplag), no centro de Maceió. A intenção era pressionar o secretário para uma audiência, a fim de que o famigerado projeto de lei fosse encaminhado à Casa de Tavares Bastos. Os policiais informaram que o diálogo com o governador foi iniciado em setembro do ano passado, quando o próprio Renan Filho prometeu o envio do projeto ao Legislativo.

Por meio de nota, a Seplag informou que vem atendendo diversas categorias do Executivo alagoano, para alinhar tratativas sobre a situação. Além disso, o órgão afirmou que sempre esteve aberto para discutir as reivindicações dos representantes das categorias da Polícia Civil. "A Seplag reforça, porém, que os encaminhamentos das decisões precisam respeitar os prazos legais para a sua efetivação", diz trecho do comunicado.

Mais matérias
desta edição