app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 0
Política

SÃO JOÃO DEVE MOVIMENTAR CERCA DE R$100 MILHÕES NA ECONOMIA DE MACEIÓ

Pelo menos 50 segmentos da cadeia produtiva serão beneficiados pelo grande evento deste ano

Por DA REDAÇÃO COM ASSESSORIA | Edição do dia 21/05/2022 - Matéria atualizada em 20/05/2022 às 23h19

O São João de Maceió “Massayó: Sol... Mas...Forró” deve movimentar cerca de R$ 100 milhões na economia da capital alagoana. São cerca de 50 segmentos da cadeia produtiva - como setor hoteleiro, bares e restaurantes, transporte por aplicativo, supermercados e ainda compra e venda a ambulantes - que serão alavancados pelo evento, considerado já o maior São João do Litoral do Brasil, em uma programação que vai do dia 15 ao dia 29 de junho. A previsão é da Federação do Comércio do Estado de Alagoas (Fecomércio-AL).

De acordo com o economista da Fecomércio, Victor Hortêncio, a expectativa é grande em torno do São João na capital, podendo se equiparar com a movimentação da economia do São João de Campina Grande, considerado o maior do País. “Festejos assim são muito importantes para a cidade porque fomenta a economia local com injeção grande de liquidez. A Prefeitura de Maceió está gerando fluxo de dinheiro, por meio deste investimento público, que tem retorno direto, por meio dos impostos. Uma média de mais de R$ 100 milhões tende a ser injetado na economia local. O fluxo grande de pessoas faz com que a movimentação econômica aumente, gerando retorno direto do ISS [Imposto Sobre Serviços]”, analisa Victor Hortêncio. A programação foi anunciada na última quarta-feira (18), pelo prefeito JHC, que tem inúmeras atrações locais e nacionais, como Alok, Wesley Safadão, Zé Felipe, Xand Avião, Zé Vaqueiro, dentre outras. “Indiretamente, a ocupação hoteleira vai ter um ganho maior e esperamos um contrafluxo, aumentando as hospedagens de pessoas que querem ver este evento. A expectativa é muito grande que a ocupação hoteleira tenha um acréscimo significativo em uma época que, costumeiramente, há uma queda por causa da estação mais chuvosa. Os ambulantes também ganham porque consomem e vendem, com entrada e saída de mercadorias. Eles compram por atacado e acabam girando uma cadeira virtuosa que é impulsionada por um evento desta magnitude”, avalia. Para a secretária municipal de Turismo, Esporte e Lazer, Patrícia Mourão, o ‘Massayó: Sol... Mar... Forró’ será mais um aliado para a retomada do setor, que passou dois anos estagnado em razão da pandemia, no entanto vem apresentando avanços econômicos.

“Maceió é uma cidade conhecida mundialmente pelos seus atrativos turísticos. Esse setor movimenta mais de 50 cadeias produtivas em todo o Estado e só nesta temporada movimentou mais de R$ 2,5 bilhões na economia municipal. Temos a previsão, inicial, de um aumento de mais de 30% na média de ocupação hoteleira no período junino. Vamos gerar emprego e renda para os maceioenses, além de elevar a competitividade do destino no mercado nacional de grandes eventos”, destacou a secretária. A Fecomércio-AL revela que fará estudos para verificar o comportamento da economia local antes e após o São João de Maceió. E menciona que, de 2017 para cá, em Campinha Grande a economia movimentou mais de R$ 200 milhões e mais de 50 segmentos foram beneficiados. Aqui, na opinião dele, os benefícios serão iguais.

“Teremos espraiamento de benefícios da economia local a partir do evento. Só com o anúncio, sabemos que o evento será um sucesso neste sentido e o segmento do turismo será o maior beneficiado, assim como toda a cadeia. São turistas do próprio estado e de fora que vão prestigiar o evento”, aposta.

Mais matérias
desta edição