app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 0
Política São Miguel dos Campmos, 23 de maio de 2022
Senador Collor (PTB), na solenidade de entrega de um trecho da duplicação da rodovia BR-101, na cidade de São Miguel dos Campos, em Alagoas - Brasil.
Foto:@Ailton Cruz

LIRA APONTA SOBREPREÇO NA COMPRA DE CAMINHÕES PELO ESTADO

Segundo presidente da Câmara, se tivesse adquirido os veículos por meio da Codevasf, o governo anterior teria economizado R$ 9 milhões

Por Marcos Rodrigues | Edição do dia 24/05/2022 - Matéria atualizada em 24/05/2022 às 02h26

Durante evento ontem em São Miguel dos Campos para entrega do trecho da duplicação da BR-101, o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (Progressistas) fez críticas à gestão anterior do governo do Estado, à qual acusou de ter comprado caminhões compactadores de lixo por R$ 50 mil a mais do que se tivesse adquirido via Codevasf. Segundo ele, se o governo do Estado tivesse aderido à ata do governo federal, teria economizado R$ 9 milhões. “Graças aos levantamentos feitos até aqui foi possível constatar que a economia que faria se tivessem adquiridos caminhões compactadores via Codevasf seria possível investir em atendimento especializado para pacientes do interior em clínicas especializadas na capital”, afirmou Lira

O deputado também criticou a falta de transparência das finanças do Estado. “Secreto são as contas do governo do Estado de Alagoas. Está aqui o deputado Davi Maia, que luta para saber o preço do quilômetro de asfalto e do metro quadrado do calçamento. E ontem nós só tivemos acesso a quanto custava um caminhão, que é R$ 50 mil mais caro que o nosso”, disse o deputado para uma plateia repleta de lideranças e moradores da região.

Disposto a dialogar com todas as lideranças municipais, Lira demonstrou saber mais sobre a realidade da gestão do ex-governador do que muitos esperavam. “Enquanto perderam tempo buscando espaço para criticar, não só gastaram mal, como prejudicaram, justamente, a população carente das cidades”, disse ele. “Dava para pagar o dinheiro do Conisul para os municípios não tivessem cancelados os convênios, em Maceió, para tratamento, exames e cirurgias nas melhores clínicas particulares de Alagoas. Estamos aqui só dando uma pitadinha para esquentar o tempo. Estou aberto para a discussão. Prefeito que achar que vai perder recurso vai ganhar mais para socorrer a sua população”.


ICMS

O presidente da Câmara também acabou revelando para o público que está sendo encaminhada uma investigação, em todo o País, sobre quem são os envolvidos na especulação sobre o preço da gasolina. Em tom enfático, chegou a dizer que “irão para a cadeia “. E acabou antecipando que, a partir desta terça-feira, em Brasília, o debate é para tornar essencial água, energia, transporte, comunicações e combustível. A discussão faz parte do PL que prevê a redução do ICMS dos estados.

“Essa a realidade do que vai acontecer em Brasília. Eu acho que sem isso ninguém vive. E o limite máximo de imposto é 17%. Vamos ver os estados que estão com os cofres cheios. E quem der mais desconto vai arrecadar mais”, antecipou o deputado. “Os governos dos estados precisam ter sensibilidade quando o assunto é excesso de arrecadação nas costas do contribuinte”. Nos bastidores da discussão, há a disputa entre os estados por meio das bancadas. Em sua avaliação, chega a ser desleal, pois é uma bancada de nove deputados enfrentando a pressão de outras com 60 parlamentares. “Outro dia o Ministério do Turismo estava para receber de volta R$ 12 milhões. Mas deixa aqui, a gente vai mandar para as prefeituras: vamos fazer a orla de Roteiro, vamos fazer a de Rio Largo ou do Litoral Norte. A gente pode se dar ao luxo de devolver dinheiro?”, indagou Lira

Mais matérias
desta edição