app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5714
Política

BOLSONARO DIZ QUE VAI RECORRER DE DECISÃO THIAGO GOMES REPÓRTER O candidato à reeleição, Jair Bolsonaro (PL), disse, em entrevista coletiva ontem em Brasília, que ele, juntamente com a sua campanha, vai recorrer para que o caso das inserções em emissoras de rádio sejam investigadas. “Com toda certeza o nosso jurídico deve entrar com recurso. Ou seja, da nossa parte, nós iremos às últimas consequências, dentro das quatro linhas, para fazer valer o que as nossas auditorias constataram”, disse. Bol

O candidato à reeleição, Jair Bolsonaro (PL), disse, em entrevista coletiva ontem em Brasília, que ele, juntamente com a sua campanha, vai recorrer para que o caso das inserções em emissoras de rádio sejam investigadas. “Com toda certeza o nosso jurídico

Por DA REDAÇÃO - COM CNN BRASIL | Edição do dia 27/10/2022 - Matéria atualizada em 27/10/2022 às 04h00

O candidato à reeleição, Jair Bolsonaro (PL), disse, em entrevista coletiva ontem em Brasília, que ele, juntamente com a sua campanha, vai recorrer para que o caso das inserções em emissoras de rádio sejam investigadas. “Com toda certeza o nosso jurídico deve entrar com recurso. Ou seja, da nossa parte, nós iremos às últimas consequências, dentro das quatro linhas, para fazer valer o que as nossas auditorias constataram”, disse. Bolsonaro afirmou que, se depender dele, uma terceira empresa será contratada e que cita “urgência em recorrer” da decisão. “Contratamos duas (empresas de auditoria) e estamos em vias de uma terceira. No que depender de mim, será contratada, porque é mais uma prova de que as inserções foram realmente potencializadas para o outro lado. Isso desequilibra o processo democrático, por isso a urgência em recorrer. Sabemos que está em cima, as eleições estão aí, mas um lado, que é o meu lado, foi muito prejudicado”, completou. "Certos lugares que achava que iria bem e poderia, até ganhar, nossa análise, pode ter havido outros fatores, vimos que perdemos. Com toda a certeza, as inserções de rádio fizeram a diferença ou poderiam ter feito a diferença. Não existe outro fator que a gente possa levar em conta nesse momento", disse Bolsonaro.

CORTINA DE FUMAÇA

Ontem, de acordo com informações publicadas pelo portal Amazonas Notícias, o servidor Alexandre Gomes Machado, exonerado na terça-feira do cargo de assessor de Gabinete da Secretaria Judiciária da Secretaria Geral da Presidência do TSE, afirmou, em depoimento à Polícia Federal, que sua saída ocorreu depois de relatar para sua chefe uma irregularidade que afetava Bolsonaro referente às inserções da propaganda eleitoral pelo rádio. Segundo o portal, ele também disse que avisou o TSE sobre irregularidades nas inserções desde 2018. Em nota divulgada ontem, porém, tribunal afirmou que o servidor nunca relatou as irregularidades. Já em entrevista à CNN Brasil, Machado disse que “estão tentando criar uma cortina de fumaça” sobre a exoneração ocorrida horas após a campanha de Bolsonaro.

Mais matérias
desta edição