app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5757
Política

PAULO DANTAS VAI CRIAR MAIS DUAS SECRETARIAS E MANTER MAIORIA FEMININA NA GESTÃO

Governador reeleito anunciou as pastas de Turismo e da Pessoa com Deficiência e disse que mulheres continuarão sendo maioria em sua equipe

Por arnaldo ferreira | Edição do dia 05/11/2022 - Matéria atualizada em 05/11/2022 às 14h14

Neste primeiro momento não haverá mudanças na equipe de governo Paulo Dantas (MDB), empossada em maio passado. Porém, é possível que, antes de assumir o segundo mandato, a partir de janeiro de 2023, o governador anuncie novos nomes e composições políticas principalmente com parlamentares da Assembleia Legislativa para o projeto de governo dos próximos quatro anos.

Foi o que admitiu o próprio Paulo Dantas, sem revelar nomes de quem entra ou sai e sem confirmar também as especulações dos bastidores a respeito de parlamentares para pastas de primeiro e segundo escalões.

“Vou conversar muito. No início de dezembro começaremos anunciar o secretariado para a próxima gestão”. Dantas confirmou a criação de duas novas secretarias: a da Pessoa com Deficiência e a pasta de Turismo. As duas fazem parte dos compromissos da campanha de reeleição assumidos com os setores. “Eu só faço aquilo que posso. Portanto, teremos duas novas secretarias”.

Adiantou que a equipe será formada com secretariado majoritariamente feminino. Na gestão atual, iniciada em maio passado depois de ter sido eleito indiretamente na Assembleia Legislativa, Dantas nomeou 13 secretárias para pastas estratégicas e 10 secretários. “Pretendo ampliar o quadro de gestores femininas”.

COALIZÃO

Para a nova etapa da gestão, Dantas segue a política de coalizão de partidos e políticos alinhados com o núcleo forte do MDB. Terá a participação dos partidos e de políticos que ajudaram no projeto de reeleição.

“O novo governo será composto pelo meu partido [MDB], com a federação formada pelo PT, PV e PCdoB, além do PDT do nosso vice- governador Ronaldo Lessa. Ele teve um papel fundamental no projeto”.

Lessa era vice do prefeito de Maceió, JHC (PL) e chegou a fazer oposição ao MDB. Mas ficou isolado no grupo de sustentação política do prefeito, principalmente com a parcela que apoiava o projeto de reeleição do presidente derrotado Jair Bolsonaro (PL). Daí, Lessa compôs com o candidato à reeleição ao governo do Estado, na fase de formatação da chapa de governo.

Paulo Dantas reconheceu que a chegada de Ronaldo Lessa fortaleceu seu grupo político. Outro detalhe interessante foi que Dantas revelou a possibilidade de outros partidos políticos serem chamados para conversar a respeito da coalizão.

“Obviamente a formação da equipe obedecerá a critérios técnicos de homens e mulheres que tenham condições de ajudar Alagoas no desenvolvimento e crescimento”. No balanço que fez desses oito meses de gestão, o governador destacou as pastas que, segundo ele, vêm apresentando resultados positivos de produtividade, eficiência nos serviços públicos e destacou a Saúde, Segurança Pública, Educação, Assistência Social.

Sobre mudanças na equipe destes setores essenciais não revelou nada, mas disse que um dos focos do governo é manter o ajuste para garantir a governabilidade e a capacidade de investimentos em serviços, infraestrutura e bem-estar social.

“Só se faz as coisas com dinheiro. Para isso, temos que ter uma gestão eficiente. Vamos cobrar da equipe resultados, evitar desperdícios para manter as condições de investimentos em saúde, educação, infraestrutura, saneamento básico e em outros setores que melhorem a vida das pessoas”.

SAÚDE

Na área da Saúde, destacou a gestão do secretário médico Gustavo Pontes de Miranda, que desenvolve o projeto de mutirão do atendimento e das cirurgias eletivas que estavam reprimidas.

As duas situações se agravaram no período da pandemia do coronavírus [2020/21] porque todas as ações foram voltadas para socorrer as vítimas e conter as mortes. Ao assumir em maio passado e superada a fase crítica da pandemia, o governador e o novo secretário de Estado da Saúde implementaram ações para restabelecer o atendimento à população.

No balanço que fez do setor, Dantas garantiu que “o mutirão das cirurgias continua’’. A gente pretende zerar a fila das cirurgias eletivas até dezembro”. Adiantou ainda que está construindo mais três hospitais: um em Arapiraca, o hospital do Idoso em Maceió e a unidade de Palmeira dos Índios.

Além de manter o compromisso de construir o hospital do Câncer. “Vamos fazer esta unidade aqui em Maceió”. Falou também das construções em andamento de mais três Unidades de Pronto Atendimento: em Coruripe, Marechal Deodoro e Rio Largo. Ele pretende inaugurar as novas UPAs ainda este ano ou até meados de janeiro de 2023.

AGRICULTURA

Antes de ser eleito governador, Paulo Dantas ocupava a presidência da Comissão de Constituição e Justiça da Assembleia Legislativa. Neste período atuava também como a principal porta de reivindicações dos assentados rurais e dos 150 mil agricultores familiares.

Neste segundo mandato de governador, Dantas prometeu investimentos técnicos para os micros e pequenos produtores. Tanto que já anunciou a realização de concursos públicos para a secretaria de Estado da Agricultura e Emater [empresa de assistência técnica e extensão rural].

“A ideia é arregimentar os melhores técnicos para ajudar o pequeno produtor rural. Vamos investir também em tecnologia, inovação, equipamentos agrícolas para apoiar a agricultura familiar e levar água para as comunidades”.

Confirmou a continuação dos investimentos das obras do trecho cinco do canal do sertão. O canal já tem 120 quilômetros de água do rio São Francisco num trecho entre Delmiro Gouveia e Senador Rui Palmeira. Mais de 200 mil alagoanos serão beneficiados com o trecho 5 do Canal do Sertão.

Segundo Paulo Dantas, o início das obras tem estrutura localizada no município de São José da Tapera. O valor para essa etapa será de R $475 milhões, do Tesouro Estadual. Além da importância para o abastecimento de água e irrigação, as obras do Canal, entre o km 123,5 e o km 150, também atuam na geração de renda.

“O início desse trecho, gera mais de mil empregos diretos e indiretos para os moradores de São José da Tapera, Monteirópolis e Olho d’Água das Flores, o que promove desenvolvimento econômico para a região e adjacências”.

O trecho vai de São José da Tapera, passa por Olho d’Água das Flores e termina em Monteirópolis.O projeto original do canal prevê a construção de 250 quilômetros do rio artificial com mais de 30 metros cúbicos por segundos. Isso representa um quarto da vazão dos dois canais da transposição que levam 120 metros cúbicos para o semiárido de cinco estados do Nordeste. A Obra já consumiu mais de R$ 3,5 bilhões.

Leia mais na página A6

Mais matérias
desta edição