app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5710
Política

Paulo destaca equilíbrio fiscal e financeiro para a segunda gestão

Em entrevista à Gazeta, governador reeleito aponta que mais de 300 obras estão em andamento em Alagoas

Por arnaldo ferreira | Edição do dia 12/11/2022 - Matéria atualizada em 12/11/2022 às 04h00

O governador reeleito de Alagoas, Paulo Dantas (MDB), afirma que, em seu segundo mandato, vai continuar crescendo e se desenvolvendo graças ao equilíbrio fiscal e financeiro, com capacidade de investimento para tocar as mais de 300 obras que estão em andamento. Em entrevista exclusiva à Gazeta, Paulo revelou que já manteve contato com o presidente da equipe de transição do governo federal, o vice-presidente Geraldo Alckmin (PSB) e, na próxima semana, entregará a ele as demandas do Estado. Na entrevista, o governador falou a respeito de obras federais paradas, assegurou a continuidade do trecho cinco do Canal do Sertão e garantiu que vai trabalhar integrado com o presidente eleito, Luiz Inácio Lula da Silva. Ele assegurou ainda que o Estado se mantém equilibrado e garantiu o pagamento em dia dos salários e do décimo terceiro. Entre as prioridades da gestão Paulo Dantas está o combate à pobreza com a continuidade de programas de transferência de renda, socorro social e estruturantes. Eis a íntegra da entrevista:

Gazeta: O senhor tem ideia de quantas obras federais estão pendentes ou paradas em Alagoas? Já que tem uma relação próxima com o presidente Lula, o que pretende fazer para destravar?

Paulo Dantas: Na verdade, o que existem são obras que estão há muito tempo sem conclusão, como a BR 101. Outras como o Canal do Sertão só não pararam porque o Estado precisou assumi-las integralmente com recursos próprios para que avançassem no trecho 5. Já foram licitados R$ 430 milhões para o Canal com investimentos do Tesouro do Estado. Vamos precisar do apoio do governo federal para continuar tocando essa obra. Iremos trabalhar de forma integrada com o presidente Lula, para que Alagoas cresça ainda mais e que todas as obras andem de forma acelerada. Falei recentemente com o vice-presidente eleito, Geraldo Alckmin, que está presidindo a transição de governo. Nós vamos trabalhar conectados para que Alagoas ter mais facilidade de receber benefícios. Na próxima semana, estaremos levando algumas demandas para apresentar a eles. Além do Canal do Sertão, vamos levar também a demanda do aeroporto de Maragogi.

Na campanha, o senhor disse que estava garantido o trecho 5 do Canal do Sertão. Como está esse cenário atual?

O atual presidente da República interrompeu os investimentos nas obras do Canal do Sertão, deixando milhares de alagoanos sem o benefício das águas que o canal pode proporcionar, mas nós assumimos esse compromisso, investimos R$ 430 milhões para continuar as obras do trecho 5 e, com a conclusão, 200 mil alagoanos serão diretamente beneficiados. A partir de 2023, vamos avançar em outras frentes do canal. E veremos a obra ganhar outro ritmo e avançar.

Quais obras são prioridades a partir de janeiro?

Vamos criar as condições para o Estado continuar crescendo e se desenvolvendo, sendo referência em governança e em capacidade de investimento. O Estado encontra-se financeira e fiscalmente equilibrado. Estamos com recursos garantidos para pagar a folha, e o décimo terceiro será pago no dia 15 de dezembro. Portanto, vamos iniciar o novo mandato mantendo o que está dando certo e tocando o nosso plano de governo aprovado nas urnas pelos alagoanos. Temos mais de 300 obras em andamento, que vão de duplicações de rodovias, construções de hospitais, Cisps, creches e escolas. Entendemos também que é fundamental nós mantermos os programas sociais funcionando, de maneira que, se nós trabalharmos de forma integrada, unindo esforços com o presidente Lula, Alagoas tende a avançar bem mais, crescendo, gerando emprego e renda e melhorando as condições de vida dos mais necessitados. Nós criamos o Pacto Contra Fome, que está levando 109 mil cestas básicas ao alagoano; abrimos um restaurante popular em Maceió, que oferta 2.250 refeições ao preço de dois reais e mantivemos o Restaurante Popular já existente na parte alta de Maceió, no Benedito Bentes. Nosso compromisso é abrir outros dois: um deles em Arapiraca.

Na área da educação, há previsão de obras?

A educação continuará sendo prioridade nos próximos quatro anos. Vamos manter e ampliar o programa mais arrojado de combate à evasão escolar, o Cartão Escola 10. Nós trouxemos de volta 40 mil alunos que estavam fora da sala de aula. Foi o estado que conseguiu resgatar mais jovens para a escola. Temos 106 escolas em tempo integral e vamos instalar mais 54, completando as 160, e quem estiver estudando em escola de tempo integral vai receber o Bolsa Permanência. Em vez de R$ 100, R$ 150. Isso ajuda muito a manter o aluno na sala de aula. A gente tem investido muito em educação. Nós estamos construindo 200 creches. Só essas creches vão gerar 10 mil novos empregos para quem trabalha na educação. Temos 55 em andamento, sete que estão com as obras para iniciar e 120 creches em licitação. Vamos construir mais escolas também. Temos 16 sendo construídas, além de uma escola indígena. Há ainda em licitação 50 escolas de seis salas, 25 de 12 salas e 12 escolas indígenas. Dentro desse cenário, vamos construir também 100 quadras poliesportivas, que já estão em processo licitatório.

Nas obras de infraestrutura, vai falar com os prefeitos?

Sempre ressaltei que não se faz nada sozinho e para governar vou precisar da parceria com os prefeitos, com a sociedade civil organizada, escutando todos, porque dessa maneira a gente tem muita chance de acertar e progredir. Unindo esforços, a gente consegue promover sempre os melhores serviços para o povo de Alagoas. A melhor educação, a melhor saúde, a melhor infraestrutura. Os alagoanos podem ter certeza de que Alagoas vai continuar crescendo nos próximos quatro anos.

Mais matérias
desta edição