app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5716
Política

SERRA DA BARRIGA DEVE RECEBER milhares de VISITANTES ATÉ DOMINGO SERR

Após dois anos de restrições, monumento volta a comemorar o Dia da Consciência Negra de forma ampla

Por arnaldo ferreira | Edição do dia 19/11/2022 - Matéria atualizada em 19/11/2022 às 04h00

União dos Palmares - Depois de dois anos fechada e com restrições ao acesso de religiosos, turistas, pesquisadores e estudantes, os portões da “Fortaleza do Quilombo dos Palmares”, no platô de Serra da Barriga (distante 82 quilômetros de Maceió] foram “escancarados” essa semana. Até domingo (20), data da “Consciência Negra Nacional”, receberá mais de 10 mil turistas. As atividades culturais e celebrações tradicionais, como as cerimônias religiosas de matrizes africanas, começam ao raiar do sol. Entre os que estiveram nos preparativos do projeto cultural “Vamos subir a Serra da Barriga”, em Maceió, e se emocionaram, estava o governador eleito da Bahia, Jerônimo Rodrigues (PT). Acompanhado da futura primeira-dama, a pró-reitora da Universidade Federal da Bahia, professora Tatiana Veloso, ele se emocionou na apresentação de uma roda de capoeira. O projeto do Movimento Negro Anajô realizou atividades de arte e cultura na tenda cultural Zumbi dos Palmares, na praça Multieventos até o dia 16. No dia seguinte, transferiu as atividades religiosas, de arte, cultura, gastronomia e oficinas para o platô da Serra da Barriga. “O governador eleito da Bahia e sua mulher não esconderam a emoção na tenda cultural. Eles vão voltar para subir a serra. Eles também nos emocionaram”, disse a coordenadora do projeto “Vamos Subir a Serra”, a jornalista e militante Valdice Gomes. Os 327 anos de morte do líder Zumbi-o último chefe supremo do Quilombo decapitado em 1695-é lembrado desde o início do mês com oficinas, cursos de formação para professores, feiras de artesanato, rodas de capoeira, culinária, teatro, cinema e apresentações musicais em Maceió e nesta cidade da Zona da Mata.

Apesar do distanciamento da Fundação Palmares (órgão do Ministério da Cultura), que, nos últimos anos, “tentou esquecer” este patrimônio da Cultura Brasileira, tombado em 1985 pelo Ministério da Cultura e desde 2019 elevado à condição de Patrimônio do Mercado Sul, as secretarias de Estado e Municipal de Cultura, Movimentos Negros do Brasil e de Alagoas se mantiveram unidos na reverência a Zumbi e na organização do 20 de novembro. Essa união evitou o abandono e o esquecimento cultural da Serra da Barriga, afirmam os militantes.

Nos últimos dias, centenas de turistas estiveram na tenda cultural, visitaram também a serra e se emocionaram. Além do governador da Bahia, grupos de pesquisadores de Universidades do Nordeste, professores, estudantes de três níveis de ensino, produtores de conteúdos para redes sociais e diretores do Tik Tok estão entre as pessoas que participaram de atividades culturais do projeto “Vamos subir a Serra”. Alguns visitaram a serra, revelou umas das coordenadoras do Centro de Cultura e de Estudos Étnicos Anajô e do projeto da tenda cultural, Valdice Gomes.

Além das atividades festivas, culturais e religiosas, a entidade do Movimento Negro envolvido com a organização das atividades do Dia da Consciência Negra promove - até domingo - oficina de formação. “O projeto Vamos Subir a Serra foca na Educação, economia criativa com geração de renda e em atividades de valorização da cultura afro-brasileira”. Valdice disse ainda que, com apoio das novas tecnologias, divulga as atividades e a Serra da Barriga para o Brasil e o mundo na perspectiva de fomentar o turismo na região. “Muita gente, inclusive em Alagoas, não conhece ainda a Serra, o local do Quilombo dos Palmares”, lamentou.

Mais matérias
desta edição