app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5716
Política

Estado cria Rede de Enfrentamento e Monitoramento das Violências

Centro Especializado de Atendimento à Mulher está sendo reformado e ampliado

Por DA REDAÇÃO COM ASSESSORIA | Edição do dia 22/11/2022 - Matéria atualizada em 22/11/2022 às 04h00

Durante visita às obras de reforma e ampliação do Centro Especializado de Atendimento à Mulher (Ceam), na Jatiúca, ontem, o governador Paulo Dantas assinou o decreto que institui a Rede Intersetorial de Enfrentamento, Assistência e Monitoramento das Violências, que agregará serviços e ações voltadas ao atendimento integral, seguro e humanizado às populações vulneráveis. A rede será composta por instituições de saúde, assistência social, segurança pública e demais órgãos do Poder Executivo, dentro de suas áreas de competência. O documento faz parte das ações do Governo de Alagoas pelos 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres, campanha internacional que teve início no dia 20 de novembro e vai até o dia 10 de dezembro, quando se comemora o Dia Internacional dos Direitos Humanos. “Estou muito feliz de acompanhar a execução dessa obra, que está em 20%, e vai trazer benefícios para proteção integral e um atendimento mais acolhedor para as mulheres vítimas de violência”, afirmou Paulo Dantas, que também visitou a unidade da Patrulha da Maria da Penha, instalada no local, e terá sua estrutura ampliada com a reforma da sede da Ceam. A ordem de serviço para execução da reforma e ampliação do Ceam foi assinada por Dantas em junho deste ano e a conclusão está prevista para março de 2023. O governador salientou que, além do Ceam, o governo avança no combate à violência, com a criação de uma delegacia especializada de crimes contra vulneráveis, a instalação das Salas Lilás em todos os Cisps, a implantação do plantão 24 horas da Delegacia da Mulher, em Maceió, e interiorização da atuação da Patrulha Maria da Penha. A coordenadora da Rede de Intersetorial de Enfrentamento e Assistência e Monitoramento de Violências (RAV), Camilly Wanderley, destacou que, a partir da instituição da Rede, o Governo de Alagoas amplia ainda mais os meios de combate à violência não só contra a mulher, mas a toda população vulnerável, com a integração de todos os órgãos do Poder Executivo nesse trabalho. Para Camilly, é preciso enfrentar as consequências da pandemia que ampliou os problemas sociais e, consequentemente, dos índices de violência.

A secretária de Estado da Mulher e dos Direitos Humanos, Maria Silva, explicou que serão construídos cinco apartamentos no novo Ceam, que servirão de abrigo para as mulheres vítimas de violência. O local vai contar ainda com um auditório, refeitório, oficina para capacitação profissional e uma loja para venda dos artigos produzidos pelas mulheres assistidas no Centro, que ficará voltada para a antiga Avenida Amélia Rosa.

Mais matérias
desta edição